Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Manuela Costa de Lima

Foollapalooza

Um festival de rock aos 15 anos | 21.03.12 - 16:22

Faltam poucos dias para o festival Lollapalooza enquanto escrevo este texto. Confesso que essa foi, talvez, a pior escolha que fiz. Sabe aquela sensação de que deveria ter comprado a camiseta do Pink Floyd e não a do Arctic Monkeys? Imagine isso potencializado a ter optado pelo Lollapalooza ao invés do show do Roger Waters. Frustrante, eu sei.
 
O caso foi o seguinte: sou fã do Foo Fighters, gosto herdado de gostar de Nirvana, e quando ventilou a possibilidade de um show no Brasil em 2012, fiquei determinada a ir. Providencial que seria no ano do meu aniversário de 15 anos. Nada de Disney ou festa de debutante, isso seria negar tudo o que eu sou. E condeno. De presente de 15 anos, eu vou a um festival de Rock!!!
 
Acho que a ideia acabou caindo um pouco no ostracismo, mas acontece que minha mãe se lembrou de que o Foo Fighters viria ao Brasil nesse festival e a pré-venda aconteceria em um ou dois dias. Creio que isso aconteceu em novembro do ano passado. Ela conseguiu um código para a pré-venda e ficou na fila enquanto eu não podia, coisas de mãe... Compramos. 
 
Euforia resume, basicamente, o sentimento de assistir a um festival com meus pais e primos. Realmente não me importo de ir com meus pais, minha mãe gosta um pouco de Foo Fighters e quer ver a Joan Jett. Meu pai, enfim, vai reclamar porque gosta mesmo é do Queen, que eu também adoro.
 
Aconteceu tudo de uma vez: fiquei sabendo do festival, consegui o código de pré-venda e comprei em menos de uma semana. Então, depois que passou a euforia, eu percebi a burrada que havia feito. Veja bem, eu falei que sou fã de Foo Fighters? Sim. Mas meus ídolos mesmo já eram ‘velhos’ quando meus pais começaram a gostar deles. Roger Waters é um deles.
 
Roger Waters – The Wall, em São Paulo, uma semana antes do Lollapalooza. Entrei em desespero e fui atrás de cancelar ou devolver nossos ingressos pro Lolla e fazer a minha verdadeira felicidade e, de quebra, a dos meus pais. Essa história de ingresso nominal e meia-entrada... Não podíamos vendê-los, tampouco ir a ambos, ao festival e ao show do Waters. O ingresso deste último que eu ‘consegui’ era na pista e, no total, dava menos da metade do preço pro Lollapalooza, um custo-benefício fantástico! Não houve maneira de me “livrar” desses ingressos...
 
Falando assim parece mesmo que não quero ir ao festival, mas quando não se é muito abonado e menor de idade, não dá pra ir ao Lollapalooza e ao Roger Waters na mesma vida, ou pelo menos no mesmo ano, mesma semana. Pink Floyd é uma das bandas que mais gosto, assim como da minha mãe e também do meu pai. Do Lolla, conheço Foo Fighters, Joan Jett e Arctic Monkeys, tive a oportunidade de conhecer uma ou duas bandas novas legais, mas não é a mesma coisa. Meu negócio não é o tal do Indie.
 
De todo jeito,  essa história de shows que quero ver com pouco dinheiro e autonomia me fez perceber  que eles, os caras, decidiram aparecer todos de uma vez. Além do festival ao qual eu vou e The Wall, na mesma época veio Morrissey, ex-Smiths, e virão ainda Bob Dylan e Paul McCartney. Será que dá para dar um tempo?!
 
Eu preferia quando eles vinham raramente, agora grandes artistas, que gosto imensamente, vem aos montes e eu sofro por não poder ir. E olhe só, feliz coincidência, de que tenham vindo logo no ano do meu aniversário de 15 anos (eu só fui precipitada em minha escolha). Caso contrário, creio que seria bem difícil meus pais desembolsarem uma enorme quantia de dinheiro por um festival no qual quero ver, de fato, apenas três shows que não são assim tão importantes na minha escala de “hierarquia musical”.
 
Ídolos meus e dos meus pais, de tantos anos, decidiram aparecer em tempos difíceis. Vamos com calma, ainda não fui escalada para participar do “Mulheres Ricas”. Estou aqui reclamando de “barriga cheia”, mas o tempo está ruindo e nossos queridos ídolos velhinhos não vão ficar por aqui para sempre. Como diria meu pai, não vão ficar “pra semente”.
 
Tenho certeza de que os shows do Lolla vão ser fantásticos, adoro ir a shows, vou viver dois dias de música ao lado de quem adoro e de outros amantes de música. Pelos Waters, Dylan, Morrissey, McCartney e tantos outros, só posso lamentar. 
 
Meu espírito é velho demais, minhas eras de ouro aconteceram 30, 40, 50 anos atrás. Que vivam eternizados nos nossos corações, mentes, LPs, CDs, iPods... O Rock, Blues, Folk, Jazz e todo o resto nunca irão morrer enquanto os gostos de anos atrás fluírem para as gerações seguintes.

Manuela Costa de Lima Borges é estudante do Ensino Médio. 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 27.03.2012 08:17 Pablo Kossa

    Manuela, calma e prudência são coisas que só chegam com a idade. Me vi em você nesse texto, exatamente igual quando eu tinha seus 14 para 15 anos. Cada show que vinha ao Brasil, um desespero por estar perdendo o momento. Mas o tempo passa, você cresce, começa a trabalhar para ter sua própria grana e os artistas voltam ao Brasil. Ou você vai para a gringa e os assiste. Não se preocupe, pois você ainda terá a chance de ver Dylan, Waters, Morrisey, McCartney e quem mais quiser. Estou certo disso. Belo texto! Parabéns!

  • 25.03.2012 05:18 divino lindria nascimento

    Oi, Manu. Curiooso como a gente nem sempre faz justiça, jus a algumas amizades; não por umprudência, negligência; mas pela maldita falta de tempo. Isso digo porque ao ler seu texto reconheço um pouco mais seu talento. É um misto de desabafo, poesia, intelectualidade (ainda que esta última não tenha sido sua intenção). Muito bacana mesmo. Confesso que não domino muito os aspectos do universo musical sobre o qual você fala com muita propriedade, mas sei reconhecer que se trata de algo muito requintado. Assim, vejo também o quanto tu és diferenciada da maioria dos que compõem sua geração. Grato, moça, pela oportunidade de desfrutar de sua amizade e de seu zelo pelo conhecimento. Sou fã. Um grande abraço.

  • 25.03.2012 05:16 divino lindria nascimento

    Oi, Manu. Curiooso como a gente nem sempre faz justiça, jus a algumas amizades; não por umprudência, negligência; mas pela maldita falta de tempo. Isso digo porque ao ler seu texto reconheço um pouco mais seu talento. É um misto de desabafo, poesia, intelectualidade (ainda que esta última não tenha sido sua intenção). Muito bacana mesmo. Confesso que não domino muito os aspectos do universo musical sobre o qual tu falas, mas sei reconhecer que se trata de algo muito requintado. Assim, vejo também o quanto tu és diferenciada da maioria dos que compõem sua geração. Grato, moça, pela oportunidade de desfrutar de sua amizade e de seu zelo pelo conhecimento. Sou fã. Um grande abraço.

  • 23.03.2012 10:01 Artur Pistilli

    Parabéns pelo texto, Manuela!!! Seja como for o que importa é o seu bom gosto musical e grassadeus existem esses velhinhos e novinhos que conseguem manter vivo o Rock n' Roll!

  • 22.03.2012 03:56 Ana Sanz

    Querida Nelinha, Achei muito legal o teu texto. É tão verdadeiro, tão condizente com quem és que conseguia ouvir a tua voz expressa em cada palavra. Consigo entender cada frustração por ti transcrita e posso dizer que compartilho delas e talvez por algo ainda maior - não vou em nenhum desses shows. (Haha. É, não deu certo o Dylan pra mim...) Contudo, ainda teremos vários outros shows e festivais em vários outros 15 anos vindouros e nada nos garante que não possa ser um show de um desses "velhinhos", portanto, tens mais é que curtir teu festival Indie e ansiar para os próximos ainda melhores, claro, com minha companhia. Haha. Realmente muito bom o teu texto. Fico feliz pela tua realização e orgulhosa de ter uma amiga tão boa escritora. Anseio por mais artigos teus carregados das tuas... manelices... Beijos

  • 22.03.2012 01:58 Manuela Costa

    Muito obrigada, galera! Fico feliz que tenham gostado do texto e se condoído pela minha situação, haha! Obrigada pelos desejos de feliz aniversário e sei que vou me divertir bastante nos shows... Abraços!

  • 22.03.2012 10:12 Amanda DiCastro

    Manuuuuu do ceuuuu que texto e' esse neguinha?!!! To chocada com tanta riqueza musical que vc possui, me senti ate' pobrinha de informacao hahahahaha...Mas fiquei bem feliz em saber que voce e' das minhas, ama um bom e velho Rock'n Roll...Saudadessss Um beijooooo enormeee em toda a familia buscape' hehehehe

  • 22.03.2012 08:55 Leda

    Então, Manuela, depois que vc. for para o clube das"Mulheres Ricas", com certeza vai poder vê-los, todos, mas, enquanto isso, aproveita o dia! Beijos, sua tia, já da idade dos "velhinhos"!

  • 22.03.2012 07:03 Reginaldo

    Manuela pelo menos em um show você vai, é só curtir e feliz 15 anos.

  • 22.03.2012 01:23 Luiza

    Muito bom seu texto, Manu! Mas prometo duas coisas: seus velinhos vão voltar e o show do FF vai ser awesome!

  • 21.03.2012 08:15 Augusto

    Manuela, que bom saber que nem tudo está perdido em termos de gosto musical na nossa juventude, aliás, eu sempre soube de seu bom gosto, e não esquenta não que nos próximos 15 anos você ainda vai ver muito '"velhinho" verdadeiramente rock'n'roll .

  • 21.03.2012 08:14 Jade

    Morreria de orgulho se minha irmã adolescente fosse você! Rs! E amaria ir com ela em um Festival de Rock, de verdade! Pelo menos dessa vez não vai rolar. Envelheci precocemente, coisas de família. Parabéns pelo texto e pelo gosto musical! :)

  • 21.03.2012 07:49 Renato Naves

    Parabéns Manuela! Parabéns por 2 razões: Pelo gosto musical herdado, que é de excelente qualidade, e pelo texto que ficou muito bom, muito bem escrito! Jornalismo pode ser uma escolha sua quando vestibulanda. A propósito, lendo seu texto me veio uma dúvida: Ainda existem adolescentes como você, que escutam nosso bom e velho rock'n'roll? Ou foram todos tomados por Restart e o domínio do sertanejo, axé e house da mídia?

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351