Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Lilian Cury

O tal beijo gay

A repulsa injustificável da plateia no cinema | 23.01.13 - 18:58
 
Triste perceber como um simples beijo homossexual provoca tanta revolta em parte da sociedade. Uma cena breve do filme 'A Viagem', com a despedida de um casal masculino culminando em um beijo rápido, desencadeou manifestações de repulsa na plateia do cinema, em sessão no Goiânia Shopping que assisti nesse fim de semana. Em meio às várias palavras de reprovação do público, um desconhecido que estava ao meu lado bradou "Não estou aqui para ver isso!".
 
Pouco tempo atrás, presenciei situação parecida no mesmo cinema: em "O Ditador'', um beijo entre duas mulheres fez com que alguns espectadores gritassem "credo!", "ah nem", "absurdo", entre outras exclamações infelizes.
 
Voltando ao filme "A Viagem", no desenrolar da trama o beijo não apareceu mais. E a plateia continuou a ver o filme em completo silêncio. Cenas com teor de violência foram mostradas,   um escravo é açoitado, há pessoas degoladas e um cachorro é assassinado, por exemplo. Em contrapartida, a reação do público não ecoou na sala de exibição em nenhum momento sequer. Nem mesmo uma interjeição ressoou.
 
Não afirmo que seja necessário declarar repúdio a cada injustiça na tela, muito pelo contrário. Mas que tipo de filtro do público é esse?  Como um beijo entre duas pessoas do mesmo sexo pode agredir mais aos olhos do que a violência física? A cena alardeada foi singela, simples, sem calor. E mesmo assim, muitos precisaram se posicionar publicamente contra.

O protesto pode ser mais grave do que à primeira vista: ora, a reprovação, obviamente, não foi direcionada aos cineastas, à produção do longa ou aos atores. A manifestação contrária foi para a própria sala de cinema. Quem exprimiu sua opinião em alto e bom som foi como fizesse questão de firmar seu posicionamento para os demais e ainda mostrar para o mundo que ali não há espaço para tolerância e diversidade sexual.
 
Pode ser piegas, mas resgato aqui a mensagem de Obama, em seu recente discurso da posse para o segundo mandato. Num país conservador, o chefe de estado enfrentar o tabu da aprovação do casamento homossexual é um sinal excelente de novos tempos. Não tenho a intenção de transformá-lo em um messias, mas acredito e espero que, como boa parte do mundo importa tendências e produtos culturais norte-americanos, a mudança por lá comece a influenciar os ares além fronteiras. E que venham mais beijos, abraços e carinho entre pessoas do mesmo sexo, na ficção e na vida real.
 
"Nossa jornada não está completa até que os nossos irmãos e irmãs gays sejam tratados como qualquer um de nós, perante a lei. Se somos realmente criados iguais, então, certamente, o amor com que nos comprometemos uns com os outros deve ser igual também."
Barack Obama
 
*Lilian Cury é jornalista.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 18.05.2013 09:58 ilza ribeiro da silveira

    Excelente artigo! Aborda de maneira direta, clara e ao mesmo tempo é delicada no tratamento do assunto! Parabéns, Lilian Cury, que mais e mais pessoas tenham a sensibilidade, o amor e a decisão de sair em defesa de valores tão importantes como a tolerância e o amor ao próximo ditado por Cristo!

  • 03.02.2013 00:40 Lydia Hymmen

    Casal = Homem Mulher Beijo de homem com homem é MUITO estranho!

  • 03.02.2013 00:32 Lelio V Carneiro

    Existe uma razão para que todos os comentários acima sejam elogios, Fiz uma crítica e fui DELETADO! Absurdo, vocês deveriam aceitar comentários diversos da opinião da autora!

  • 28.01.2013 08:28 ISAURA MAIA

    PARABÉNS PELO ARTIGO E PELO POSICIONAMENTO! CONCORDO PLENAMENTE! BEIJOS

  • 24.01.2013 13:36 Jade Azevedo

    É impressionante como temos preconceito em situações em que as pessoas estão demonstrando amor e em cenas de violencia tudo é normal.

  • 24.01.2013 11:25 Marcellus Araújo

    Lilian, seu texto é mais uma prova de que todas as pessoas, independente da orientação sexual, precisam pensar sobre as próprias atitudes diante do mundo. Obrigado por falar sobre a intolerância e o preconceito sexual. A homofobia precisa realmente ser discutida e combatida. Parabéns!

  • 24.01.2013 09:57 Marília Almeida

    Ótimo texto!

  • 24.01.2013 00:37 Fernanda Gusmão

    Uma cena de amor provoca reações violentas e cenas de violência provoca calmaria... Dizem que o preconceito é um pedaço seu no outro que vc n quer ver. Eu nasci no lugar errado. Que triste. Por outro lado, parabéns pela escrita. Me alegra ver textos com um bom português e claros.

  • 23.01.2013 20:45 Marcos

    Parabéns pelo texto. Redondinho. Um dos melhores que já li em A Redação.

  • 23.01.2013 20:09 Chico Monteiro

    É um absurdo mesmo a intolerância das pessoas, que fazem questão de manifestá-las, sem nem ficar com vergonha. Que bom você tocar nesse assunto, Lis, parabéns.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351