Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Wanderson Portugal

Incentivo para a primeira empresa

Sebrae disponibiliza suporte | 09.07.13 - 18:16


Goiânia - Goiás tem soprado ventos favoráveis para que a cultura empreendedora possa conquistar cada vez mais espaço dentro do mapa da microempresa brasileira. As políticas públicas implementadas nos últimos anos facilitam a vida de centenas e milhares de pessoas que sonham em abrir e ter o próprio negócio em terras goianas. E nesta semana, conferimos a instalação de mais uma dessas atitudes empreendedoras em Goiás. Trata-se do programa 'Primeira Empresa', que tem as parcerias da Associação de Jovens Empreendedores e do Governo de Goiás, por meio da Secretaria de Indústria e Comércio. 
 
Em movimento contínuo constatamos que o aumento da riqueza gera emprego, renda e oportunidades em todas as atividades econômicas, beneficiando, especialmente, as microempresas e empresas de pequeno porte. 
 
Em 2000, existia em Goiás 55,6 mil microempresas e empresas de pequeno porte, que empregavam aproximadamente 199 mil pessoas. Uma década depois, o número mais que triplicou. Atualmente, já são cerca de 200 mil microempresas e empresas de pequeno porte, gerando pelo menos 443 mil empregos. Sem falar nos mais de 119 mil empreendedores individuais formalizados.
 
No entanto, é bom lembrar que a pujança econômica, sozinha, não é capaz de alavancar micro e pequenas empresas. É preciso criar um ambiente favorável para que o segmento se desenvolva, com tributação específica e programas especiais para o empreendedor. Pequenos negócios têm muito mais dificuldades de acesso ao crédito e sofrem bastante com a burocracia, apenas para citar dois exemplos. 
 
Em Goiás, ações por parte do governo do Estado, como a redução da carga tributária, parceria pela criação do Vapt Vupt Empresarial, projetos da Secretaria de Indústria e Comércio (SIC) e o Plano de Ação Integrada de Desenvolvimento (PAI) dão suporte ao nascimento e desenvolvimento das micro e pequenas empresas. 
 
Outra boa notícia é o Sistema Comprasnet.GO (pregão eletrônico), em pleno funcionamento, que estipula cotas para que as microempresas participem das licitações e forneçam suprimentos à administração. E, para completar o circuito favorável a esse segmento é que o programa primeira empresa chega já com uma estrutura física e virtual para atendimento pleno a todos que planejam ter e abrir o seu negócio. 
 
A administração pública é a grande indutora do desenvolvimento. Por isso, é tão importante destacar as boas ações em prol dos pequenos negócios. Ações essas que encontram ressonância nas entidades de classe e instituições voltadas a fomentar o desenvolvimento econômico. 
 
O próprio Sebrae disponibiliza ao empreendedor diversas soluções de capacitação, que vão desde a administração planejada da empresa, passando pelos recursos humanos e gestão financeira, até as oficinas de capacitação específicas ao Empreendedor Individual. São cursos atualizados e condizentes com a atual realidade de mercado.
 
As microempresas e empresas de pequeno porte são, de longe, a grande força de trabalho formal em Goiás e no Brasil. É esperança de melhoria de vida para milhões de pessoas. E mais do que isso. Elas sempre deram grande contribuição para ajudar a resolver aspectos fundamentais da socioeconomia, como o combate à pobreza pela geração de trabalho, emprego e melhor distribuição da renda; a redução da informalidade; a interiorização do desenvolvimento pela promoção de iniciativas locais e dos arranjos produtivos; e o incremento da atividade produtiva nacional. 
 
Wanderson Portugal Lemos é Diretor Técnico do Sebrae Goiás.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351