Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Ana Paula Liam

Com que roupa?

O eterno dilema feminino do que vestir | 10.03.14 - 17:56
 
"Meu terno já virou estopa
E eu nem sei mais com que roupa
Com que roupa que eu vou
Pro samba que você me convidou?
Com que roupa que eu vou
Pro samba que você me convidou?"
 
 
Goiânia - As palavras acima  fazem parte da música dos anos 30 de Noel Rosa " Com que roupa? "  e refletem até hoje o eterno dilema feminino do que vestir. Noel compôs a letra, diz a lenda, quando sua mãe escondeu suas roupas para que ele não saísse com os amigos, pois era um grande boêmio.
 
Se Noel sendo homem, o ser mais objetivo e prático do planeta, se angustiou quando se viu convidado a ir a uma ocasião, imagina nós mulheres, indecisas por natureza, que ficamos aflitas com o que vestir a toda hora?
 
Quem já não se viu desesperada em frente ao armário abarrotado de roupas, sapatos, acessórios e blasfemou: - Com que roupa eu vou?????
 
Ou: - Não tenho roupa para ir!!!!!!!
 
Daí começa a busca insana por nem sabe direito o quê, reforço : que nem sabe o quê.
 
Tudo bem, você pode me dizer que sabe sim, pois é uma fashionista nata. Além do mais, segue várias it girls no Instagram, lê vários sites sobre o assunto e, no tablet, tem diversas revistas In. Isso sem contar os inúmeros aplicativos baixados no celular, alguns que até montam o"look do dia" e, de quebra, possui aquela amiga a quem você envia sua foto no Whatsapp antes de uma saída "bapho", que responde com emoticons de coraçõezinhos e arremata com um "arrasou!".
 
Perfeito, se você se conhecesse primeiro! É, querida mulher, quem é você? Primeiro: que imagem quer passar para o mundo? Porque vestir-se não é o simples fato de cobrir a nudez, é dizer ao mundo quem você é e para que veio! Você conhece o universo da moda e modismos, mas o que você faz com essa avalanche de informações para te tornar "apresentável " por onde passar?
 
Inicialmente, você tem que estar bem de corpo, alma e mente senão, sinceramente, nada que vestir irá "ornar". Daí saber o tipo físico que tem (ampulheta, triângulo invertido, oval etc), ressaltar suas qualidades e disfarçar defeitinhos, pois não dá para usar o "look do dia " daquela blogueira magérrima se seu biótipo é o da mulher brasileira totalmente violão.
 
E seu estilo? Clássica, romântica, sensual, ou acorda cada dia com um diferente? Neste caso, não que tenha várias personalidades, mas é uma pessoa criativa. Essa que vos escreve é uma que as vezes se torna uma hippie chique e outras uma digna primeira dama de Estado.
 
Depois que você "já se apresentou a si", é hora de conhecer os tipos de peças que se adaptam ao teu tipo físico e estilo e como elas se comunicam entre si. O modismo pode levar aos excessos, o correto é adaptar o que está na moda ao seu estilo e, por favor, não me saia como uma árvore de natal, ou seja, usando tudo ao mesmo tempo, agora! 
 
Agora sim você está pronta para ir e vir em qualquer ambiente e em qualquer ocasião. O último passo é saber se vestir adequadamente, quero dizer que não vá a um casamento com um tailler de trabalho, não trabalhe como se fosse a uma balada numa boate e não vá a boate como se fosse a uma igreja e nem a igreja como se fosse passear numa feirinha num entardecer.
 
Como disse minha amiga Coco Channel:  "Vista-se mal e notarão o vestido.Vista-se bem e notarão a mulher."
 
*Ana Paula Liam é uma apaixonada e curiosa da moda, administradora de empresas, especialista MBA em marketing pela FGV  e estudante de direito da PUC. 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 29.04.2014 18:00 Mairinha

    Me conheci desta forma. Uso a fórmula de tipo físico para vestir algo adequado ao meu corpo e gosto pessoal. Funciona muito.

  • 14.03.2014 20:44 Fabrícia Hamu

    Não me leve a mal, Tatiana Gomes, mas se há alguém aqui que desqualificou alguém, esta pessoa foi você. Seu comentário repleto de adjetivos pejorativos, de raiva e ressentimento prova isso. O leitor tem todo direito de discordar do que escrevemos e de como escrevemos aqui. No entanto, a crítica só agrega quando é feita de forma construtiva e respeitosa. Cada um pode dizer o que bem entender. Entretanto, a partir do momento em que constranjo o outro publicamente, dou a ele o mesmo direito de fazer isso. Não é fácil expor suas ideias para milhares de pessoas, digo isso por experiência própria. A questão é que estamos todos errando e aprendendo o tempo inteiro. A única coisa que não muda é o respeito que devemos ter pelo outro, seja no erro ou no acerto. Sugiro que você também tenha um pouco de humildade na hora de criticar alguém. Vai te fazer bem.

  • 14.03.2014 13:40 Tatiana Gomes

    Tenha mais humildade moça, porque o jeito que vc me respondeu mostrou humildade zero.Como vc não achou argumento pra contestar as críticas que eu fiz resolveu me desqualificar,querendo dar a entender que eu não li nota de rodapé e escrevi sem saber de quem vc se tratava. Pois saiba que li muito bem e não retiro uma só palavra do que eu disse.Mesmo não sendo você formada em Design de Moda tem a obrigação de entender do assunto,já que resolveu escrever sobre ele em um lugar público.Quem torna público o que pensa precisa estar preparado p/ouvir elogios e tb críticas.Pra quem quer escrever sempre sobre moda aqui você começou muito mal.

  • 14.03.2014 11:17 Eduardo

    Eu também não sei pra que tanto barulho com este texto. O texto da moça é ruim demais e confuso. A resposta que ela deu pra outra que comentou também é confusa e estranha. É o tipo de texto que a gente deve deixar pra lá porque não tem importância nenhuma.

  • 14.03.2014 10:32 nelson

    estou impressionado com a repercussão deste artigo. a moça emitiu sua opinião,toda humilde, e acabou apedrejada. porque vocês também não escrevem? é melhor que simplesmente desfazer de quem teve coragem de dar sua opinião. a patrulha tá vazia

  • 14.03.2014 09:53 Ana Paula Lima

    Me desculpe chamá-la de Tatiane, tenho uma grande amiga com este nome. Corrigindo : Tatiana Gomes.

  • 14.03.2014 09:50 Ana Paula Liam

    Olá Tatiane Gomes ! Obrigada por ter lido o artigo e principalmente de ter emitido tua opinião... Vi que se apresenta como profissional de moda de formação e tem admiração por colunistas de renome deste site, as quais também tenho profundo apreço e respeito.Tuas considerações iniciaram falando da tua decepção em ver algo tão "comum" e "banal" vindo de mais uma pessoa que não cria nada e se acha "descoladinha" e quer ensinar o que é de desconhecimento dela, uma pessoa fraca como as milhares que mencionou, como a ex colunista de moda deste site e além de tudo isto ainda lhe falta a humildade porque ensina errado e ainda se diz amiga da Chanel!Reitera a mediocridade superficial das blogueiras de moda e finaliza dizendo que não tem nada "contra" alguém gostar do tema e falar dele, mas ser uma especialista e "ditar" o que é certo e errado lhe preocupa... Ufa!Será que acertei? Tatiane sou :" Ana Paula Liam é uma apaixonada e curiosa da moda, administradora de empresas, especialista MBA em marketing pela FGV e estudante de direito da PUC." São minhas informações pessoais que estão no rodapé do meu artigo que tão somente diz : Que somos indecisas por natureza no que, o que e como nos vestir. Levando a reflexão de que o bom senso cabe em vestir-se dele em nas roupas e para o ambiente que se deva ir para que o mundo as veja da melhor forma possível !Não me recordo de ter "ensinado", ditado tendências etc... Falar do que já foi dito, principalmente o que é mais básico ou primitivo e não seja inovador é necessário também..Foi superficial mesmo, se não o fosse não as levaria a refletir.Foi uma forma de reflexão para mim também, porque quando escrevemos quem mais se aprende somos nós. Prazer, sou : Ana Paula Liam é uma apaixonada e curiosa da moda, administradora de empresas, especialista MBA em marketing pela FGV e estudante de direito da PUC.Reforço : curiosaaaa!!!! E quanto a amizade com a Chanel? Um toque de humor faz bem "né"? Ah!Não me leve a tão sério, por favor ! Se me der a oportunidade quero conhecer teu trabalho! Grande abraço!

  • 13.03.2014 17:50 Frank

    Este artigo vai mudar minha vida sqn

  • 13.03.2014 13:58 Jordânia de Paula

    Muito ruim mesmo. Já li melhores.

  • 13.03.2014 12:14 Roberto Jaime

    Concordo com a maioria dos comentários e com a autora, a maioria das mulheres não sabem se vestir é só dá uma olhada ao seu redor agora, muita vulgaridade pode se ver também.Não vi no texto ela ensinando como fazer isso, mas sim dando a dica mais inteligível : você se conhece e sabe como se vestir? Cabe as mulheres também acrescento não só conhecer sobre moda, beleza e afins. Um curso de interpretação de texto as faria ver a magnitude deste artigo! Trazer o nobre e saudoso Noel Rosa e dissertar sobre moda não é para qualquer uma mesmo!Alguém aí sabe a história dele? Além de ser p.h.d em Chanel?

  • 13.03.2014 11:07 Fernanda Agostinho

    Gente.. Que texto ruim. Falou nada com nada.

  • 13.03.2014 10:24 Tatiana Gomes

    Sou formada em Design de Moda e História e sempre leio este jornal principalmente por causa dos textos da Anapaula de Castro Meirelles e da Nádia Junqueira, de quem eu sou fã de carteirinha. Hoje por causa do título do artigo que fala da minha área de trabalho, resolvi ler. Confesso que eu esperava encontrar alguma coisa diferente desses blogs feitos por mulheres que querem ser “descoladinhas” , “moderninhas” , ensinando o que é “in” e o que é “out”, mas que pecam pela falta de conteúdo e embasamento, como milhares que vemos por aí. Infelizmente não foi desta vez. A outra moça que escrevia sobre moda aqui também era bem fraquinha só que era mais modesta, porque não chamava Coco Chanel de AMIGA e também não tinha a pretensão de ENSINAR o que pode e o que não pode vestir. Essa além de ENSINAR ainda ensina ERRADO! Como assim que não se pode usar um tailleur pRA ir a um casamento? Se eu tiver um Chanel de tweed no armário foi ficar BREGA se usar no casamento?! NÃO MESMOOO!!!!!! E se o casamento for durante o dia eu não apenas POSSO como DEVO usar o tailleur clássico que é sinônimo de elegância e atemporalidade. A triste verdade é que falta base e conhecimento para as blogueiras de moda (a Anapaula Meirelles escreveu um artigo ótimo sobre isso. Tirando uma pequena minoria, a maioria não tem a menor ideia dos conceitos usados em cada coleção, das referências histórias e culturais que cada estilista usou e das inúmeras possibilidades de combinação de texturas, cores e cortes. É por causa disso que os blogs se tornam superficiais e repetitivos e impedem que as mulheres criem um estilo próprio. São os blogs que criam mulheres todas iguais com cabelos loiro ombré de chapinha, vestido preto, salto Louboutin, vestido preto e olho esfumado. Nada contra alguém gostar de um tema e falar sobre ele mas daí querer se meter a especialista e dizer o que é CERTO e o que é ERRADo acho preocupante.

  • 12.03.2014 18:04 Ana

    Finalmente posso ler um texto que não venha encharcado de marcas caríssimas e que não passam nem perto do orçamento de muitas de nós leitoras! Saber como escolher o que usar é o ponto inicial para nos vestirmos bem. Não é questão de dinheiro, é questão de saber procurar, onde procurar e em quais ocasiões usar! Parabéns à nova colunista, excelente texto, excelentes dicas. Muito sucesso e aguardo os próximos!!

  • 12.03.2014 13:13 Marcela Souza

    Interessante o artigo #sóquenão

  • 12.03.2014 12:25 Iza Morgane Garcia de Souza Ribeiro

    Realmente, esse dilema é constante em nosso dia a dia, e quanto mais roupas e sapatos temos a dúvida ainda é bem maior. beijos

« Anterior 1 2 3 Próxima »
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351