Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Nilo Edgard Faria Jr

Você dorme bem?

Se não, saiba que existe tratamento | 22.06.11 - 18:03

O sono tem fascinado todos os povos do mundo desde a antiguidade. O ser humano passa aproximadamente 1/3 da vida dormindo, logo, a eficiência do sono é
muito importante para a qualidade de vida do indivíduo.

Algumas pessoas param de respirar momentaneamente e produzem ruídos à noite (ronco), o que incomoda tanto a própria pessoa quanto o parceiro ou parceira. Isso
se chama Síndrome da Apnéia Obstrutiva do Sono (SAOS), e a pessoa que apresenta essa doença pode, inclusive, morrer em decorrência dela. Sua principal característica é o fechamento repetitivo da garganta (obstrução das vias aéreas superiores) durante o
sono, ocasionando pausas respiratórias (apnéias), acarretando diminuição do oxigênio do organismo e causando despertares repetitivos e ronco.

Os sintomas mais comuns de pessoas que possuem essa doença são, além do ronco, sono excessivo durante o dia, memória fraca, falta de concentração, irritação, sono agitado, depressão e dor de cabeça matinal. Estudos recentes sugerem que 40% dos indivíduos hipertensos apresentam apnéia obstrutiva do sono e que 30% dos
pacientes com diabetes tipo II também a possuem. Além dessas duas doenças podemos relacionar à SAOS outras como infarto, insuficiências cardíacas, arritmias e doenças
cerebrovasculares.

O tratamento para a SAOS é multidisciplinar. O dentista especialista em medicina do sono e o médico otorrinolaringologista devem trabalhar juntos para
chegarem a um bom diagnóstico e tratamento. Exames clínicos, polissonografia, radiografias de perfil e nasolaringofaringoscopia são habitualmente solicitados e
geralmente cobertos pelos planos de saúde. Esses exames determinam o grau de severidade da doença do sono e consequentemente a forma de tratá-la. Quando o
diagnóstico aponta para apnéia leve ou moderada, o tratamento com um aparelho intra-oral (AIO) pode ajudar a resolver o problema. No caso de apnéias severas, tanto o médico quanto o dentista vão determinar qual o melhor tratamento.

É importante saber que problemas do sono são tratáveis e podem mudar uma vida de sofrimento. Portanto, procure seu dentista ou seu médico otorrinolaringologista
e faça uma consulta.

Nilo Edgard Faria Júnior é cirurgião-dentista formado em 1994 pela Faculdade de Odontologia de Anápolis - Go, especialista em Implantodontia pelas Faculdades Unidas do Norte de Minas – MG, especialista em Medicina do Sono pela Universidade São Leopoldo Mandic (Campus São Paulo- SP), com curso de Reabilitação em Prótese pela Universidade de Maryland – USA.


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 29.06.2011 17:07 Francisco Arruda

    Transtornos do sono são patologias neurológicas, em sua grande maioria. Não entendo como é que um dentista pode ser especialista em Medicina (do sono).

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351