Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Jales Naves

Resgatar trajetórias e reescrever a história

| 07.05.15 - 07:55
Goiânia - Resgatar trajetórias, contribuir para reescrever a história de Goiás e dar a devida dimensão ao trabalho de quem realmente construiu é um papel relevante e necessário. Foi o que defendemos ao apresentar à sociedade goiana o livro "Otávio Lage: Empreendedor, político, inovador", que foi bem recebido pela crítica e pelos goianos. O lançamento da obra bateu três recordes em Goiás: de público num evento no Palácio das Esmeraldas e numa noite de autógrafos, em torno de 900 pessoas, e de vendas numa iniciativa como esta em Goiânia, 365 exemplares, conforme atesta o presidente do Sindicato das Indústrias Gráficas de Goiás, Antônio Almeida, que coordenou a comercialização.
 
É importante mostrar esses dados porque os goianos pouco conhecem sobre o seu estado, sua região, sua cidade e sua família, e também pouco se produziu ou foi divulgado sobre esses momentos da história.
 
Há estudos e dados importantes, mas que permanecem inéditos. Não temos, até agora, um livro completo sobre a história de Goiás, apenas trabalhos específicos, sobre determinados períodos e personagens. Uma parte significativa ainda não foi elaborada e nem chegou ao conhecimento da sociedade.
 
Dois casos específicos, o dos partidos políticos e o dos Governadores.
 
Segunda força política do Estado no período de 1945 a 1965, reunindo aqueles que combatiam Pedro Ludovico, a União Democrática Nacional (UDN) surgiu como movimento agregador das mais variadas tendências políticas e raízes históricas. Teve um papel de grande relevância no País e em Goiás, mas pouco se conhece sobre essa agremiação, apenas o mote negativo criado pelos ludoviquistas. Hoje se torna necessário fazer uma revisão da historiografia goiana, para mostrar o papel de cada partido político.
 
De acordo com a socióloga Maria Benevides, "além das liberdades formais, constantes no ideário liberal clássico, a plataforma udenista reivindicava autonomia sindical, direito de greve e pluralismo sindical; participação dos trabalhadores nos lucros das empresas, ensino público gratuito, previdência social, fracionamento das propriedades rurais não devidamente aproveitadas".
 
Os Governadores tiveram análises superficiais e naturalmente pouco se sabe sobre eles. São conhecidos apenas alguns aspectos de seu período.
 
Com o livro, resgatamos uma parcela da história goiana. Após amplos e exaustivos estudos e levantamentos, entrevistas e depoimentos, oferecemos a trajetória de uma pessoa simples, dinâmica e ousada: Otávio Lage. Um dos Governadores que mais construiu obras necessárias, que contribuiu para tirar o Estado de um atraso histórico, em termos sociais, econômicos e políticos, ele foi um marco de modernidade para Goiás.
 
Gestor competente e sério no trato da coisa pública, investiu em obras de infraestrutura fundamentais à arrancada desenvolvimentista. Consciente de seu papel naquele momento relevante provocou as mudanças que se faziam indispensáveis. Como político, estimulava as novas lideranças.
 
Ele tinha aguçada visão das oportunidades de negócios, conciliada à preocupação com o social. Empreendedor ousado e determinado atingiu objetivos em ambientes nem sempre claros, que exigiam coragem e disposição para correr riscos. Como no projeto pioneiro de produção de álcool, no confinamento bovino e na co-geração de energia a partir do bagaço da cana.
 
Otávio Lage viveu 81 anos de forma intensa, rodeado pelos muitos amigos que conquistou. Foi exemplo como trabalhador e mestre naquilo que fazia. Honesto e honrado, preocupado com o futuro, queria criar as condições essenciais para o crescimento de Goiás, para fixar o homem em seu espaço. Ele se comportou como um estadista, com visão global dos problemas e das soluções.
 
Foi referência em todas as atividades que abraçou e se enquadra num patamar que faz falta: o de heróis, aqueles de quem nos orgulhamos, e em quem queremos nos espelhar. Alguém para se ter como exemplo, que indica caminhos, e cuja trajetória foi traçada para dar certo. A dele deu certo.
 
Este livro-reportagem conta a vida dele, registrando as histórias que se entrelaçam com a sua. Dentre essas, a de seu pai, Jalles Machado, e a dos filhos, que são extensão do trabalho que realizou. Ainda, historietas e observações de pessoas com quem trabalhou, estiveram com ele nos diversos momentos de sua vida, ou apenas o conheceram, o que favorece a compreensão de sua trajetória, recheada de exemplos.
 
Ao mesmo tempo, procuramos situar Goiás no momento histórico da mudança, os esforços para essa arrancada e os resultados, em especial do período de cinco anos em que governou. Foram momentos difíceis, tensos, diante da intervenção militar, e com poucos recursos financeiros em caixa. Soube aproveitar a proximidade com Brasília para trazer benefícios para Goiás, como na construção da segunda etapa de Usina Hidrelétrica de Cachoeira Dourada, originalmente defendida para levar energia ao Distrito Federal e que serviu para alavancar o Estado; na duplicação das rodovias estaduais pavimentadas; e nos grandes avanços na educação. Na época Goiânia dispunha de apenas três colégios públicos de nível médio e somente em seu governo foram construídos e implantados outros 10. Foi um dos Governadores que mais realizou pela educação.
 
Democrata, governou sem radicalismos, sem perseguições, sem prejudicar seus adversários. Queria realizar. O senador José Caixeta propôs que fizesse obras para contrapor ao então prefeito de Goiânia, Iris Rezende, que era da oposição. Ele não concordou e enumerou que se dedicaria, como se dedicou, a construir escolas e estradas e a levar energia. Foi destaque também nas áreas de saúde, saneamento básico, no incentivo à pesquisa e à modernização da agropecuária, na gestão pública, habitação etc.
 
Ao implantar a carreira de Delegado de Polícia, que passou a exigir o diploma do Curso de Direito para os novos titulares da função e concurso público para aferir conhecimentos, acabou com o 'coronelismo' em Goiás. Até então os chefes políticos e regionais detinham poder ao nomear e controlar as pessoas que assumiam essa função. Para outras, como os agentes fiscais, igualmente via concurso público, foi reduzindo a interferência no trabalho dos servidores e modernizando o processo de arrecadação de tributos. Da mesma forma na educação, selecionando e valorizando os professores.
 
Foram avanços importantes em praticamente todas áreas de atividades, que deram a Goiás um novo caminho, uma nova perspectiva e o direcionou para os novos tempos.
Com esta contribuição ao estudo e ao debate queremos estimular que sejam produzidas idênticas iniciativas, que somam para o maior conhecimento da história e de seus personagens, ajudando na construção de um futuro melhor e mais promissor.



*Jales Naves, jornalista, é autor do livro "Otávio Lage; Empreendedor, político, inovador", da Editora Naves, 351 páginas, que chega às livrarias da cidade na próxima semana.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351