Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Gismair Martins Teixeira

O Ciranda da Arte e o Dia da Educação

| 29.04.16 - 16:45

Gismair Martins Teixeira

No dia 28 de abril se comemora o “Dia Internacional da Educação”. Segundo alguns, a data é extraoficial; para outros, é oficial. Independente disso, é um dia para reflexões em torno desse importante processo de cidadania. A gigantesca crise política que afeta a vida nacional nesse momento faz com que se olhe para o slogan adotado pela instância governamental que é o seu epicentro, o Governo Federal, com um pesar tão grande quanto a própria crise. “Pátria Educadora” é um belíssimo pensamento, uma belíssima abordagem, para que fique somente no papel. A despeito das duras injunções políticas e financeiras, um número significativo de profissionais ligados à educação tem se esmerado no aprimoramento de suas práticas pedagógicas.
 
Dentre os diversos exemplos possíveis, as propostas arte-educativas do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte se alinham com o anseio que certamente norteou a instauração do Dia Internacional da Educação. Sob a perspectiva da interdisciplinaridade, o Ciranda da Arte, sob a direção da musicista e arte-educadora, Luz Marina de Alcântara, tem trabalhado a arte em Goiás em suas diversas frentes, conjugando-as, porém, no diálogo interdisciplinar. Um exemplo disso, no âmbito das atividades levadas a efeito por essa instituição da Seduce-GO é o Projeto Casa de Viníciuis.
 
No ano de 1970, o poeta Vinícius de Moraes publicou o livro “A Arca de Noé”, composto por uma coletânea de poemas lúdicos que foram escritos ao longo dos anos imediatamente anteriores para embalar a infância de seus filhos. Uma década após, o livro foi musicado por importantes nomes da Música Popular Brasileira e transformado em especial televisivo pela Rede Globo de Televisão, num caprichado trabalho, “Vinícius para criança”, que renderia à emissora carioca o Prêmio Grammy de 1981, desbancando 110 produções similares de 22 países.
 
O poema intitulado “A Casa”, que fecha “A Arte de Noé”, apresenta uma ludicidade ímpar, que mexe com o imaginário de adultos e crianças, apresentando uma natureza metafórica bastante peculiar, pois se trata de uma figuração que se estende no tempo, prefigurada no relógio derretendo de Salvador Dali. Em “A Casa”, escreveu Vinícius de Moraes: “Era uma casa/Muito engraçada/Não tinha teto/Não tinha nada/Ninguém podia/Entrar nela não/Porque na casa/Não tinha chão/Ninguém podia/Dormir na rede/Porque a casa/Não tinha parede/Ninguém podia/Fazer pipi/Porque penico/Não tinha ali/Mas era feita/Com muito esmero/Na Rua dos Bobos/Número Zero”. A metáfora temporalmente estendida desses versos, a que se faz referência, é a hospedagem de toda a produção do poetinha na casa virtual da internet no endereço eletrônico www.viniciusdemoraes.com.br.
 
Um dos vários projetos educacionais e pedagógicos desenvolvidos pelo Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte, da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte, sob o título de Casa de Vinícius, tem exatamente como foco didático a produção de Vinícius de Moraes, com praticamente toda a referencialidade de obras do autor dispostas ao público no site mencionado. Casa de Vinícius apresenta uma abordagem interdisciplinar bastante acentuada e configura um bom exemplo de como essa instituição da Secretaria de Estado de Educação, Cultura e Esporte de Goiás, responsável pela arte-educação no Estado, tem trabalhado para levar a efeito o ideal de uma educação abrangente, formativa, não somente para a vida profissional mas também para a compreensão estética de educandos de todas as faixas da sociedade.
 
Apresentados a partir de uma encenação teatral, os poemas de diversas fases de Vinícius de Moraes permitem uma interação interdisciplinar que abrange literatura, teatro, performance, visualidades, dentre outras possibilidades intertextuais reelaboradas a partir da análise e interpretação da rica produção poética do autor de “A Casa”. No momento em que um dos focos pedagógicos essenciais é a interdisciplinaridade, o Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte tem, pois, oferecido significativa contribuição ao processo educacional no Estado de Goiás, contribuindo para que datas como o Dia Internacional da Educação não tenham seu significado esvaziado pelas crises de quaisquer procedência.
 
*Gismair Martins Teixeira – Doutor em Letras e Linguística pela UFG; professor do Centro de Estudo e Pesquisa Ciranda da Arte da Seduce-GO.
 
 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351