Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Odessa Arruda

Operação Padrão no Ministério do Trabalho

Auditores buscam reajuste salarial | 29.07.16 - 11:55
Goiânia - Os Auditores Fiscais do Trabalho estão cobrando do Governo Federal um acordo que foi realizado em março deste ano.  Em troca da suspensão da greve legal da categoria o Governo apresentou uma proposta de reajuste salarial fruto de uma longa negociação iniciada em julho de 2015. O Governo atendeu parte da proposta da categoria que já estava cansada de tanta luta.
 
Mas o reajuste negociado e prometido não saiu até a presente data. Algumas categorias já foram atendidas pelo novo governo. A demora no atendimento da Auditoria Fiscal do Trabalho não está sendo tolerada pelo Sindicato Nacional dos Auditores Fiscais _ SINAIT que realizou uma Assembléia Geral Nacional para consultar os auditores que decidiram pela  greve geral a partir do dia 02 de agosto próximo.
 
Atualmente sob orientação do Comando Nacional de Mobilização do SINAIT os auditores fiscais do trabalho de todo o país estão realizando operações padrão, no sentido de fazer ver aos trabalhadores e à população a necessidade do combate às inúmeras irregularidades que são cometidas contra os trabalhadores e muitas vezes colocando suas vidas em risco.
 
No dia 27/7 foi realizada uma fiscalização no Aeroporto Santa Genoveva, de Goiânia, com a presença de 20 auditores fiscais do trabalho que verificaram a situação empregatícia dos trabalhadores que ali laboram, como também dos aeronautas e dos aeroviários. Foram flagrados: descumprimento de jornada, alimentação inadequada dos aeronautas, falta de realização de exames médicos periódicos e irregularidades em relação aos tanques de combustíveis em desacordo com a Norma regulamentadora nº 20. A fiscalização continua. Os auditores estão analisando a documentação apresentada pelas empresas para verificar a necessidade de lavratura de autos de Infrações e emitirem um relatório.
 
A Vila Olímpica no Rio de Janeiro também foi fiscalizada ontem  pelos auditores do trabalho que verificaram uma série de irregularidades trabalhistas como a falta de registro de 630 empregados, muitos deles em jornada exaustiva, trabalhando até 23 horas, ou seja, entrada às 07 horas e saída às 06 horas. O valor da multa é de 500 reais por empregado o que somaria um valor de 315 mil reais.
 
No Espírito Santo a fiscalização está verificando o trabalho dos portuários, Na Bahia, em Rondônia em São Paulo, no Mato Grosso e em vários outros Estados está havendo fiscalização do transporte rodoviário nas estradas, sobretudo para verificar a jornada do motorista de caminhão.
 
Enfim, a fiscalização está dando uma resposta ao governo, mas em breve irá parar e cruzar os braços, caso suas pretensões continuem sem atendimento. É uma pena porque quem perde é a população que é vítima de acidentes de trânsito com caminhões, cujos motoristas realizam jornadas exaustivas e perdem também aqueles trabalhadores que não tem os seus direitos respeitados.


Odessa Martins Arruda Florêncio
Presidente da Delegacia Sindical dos auditores Fiscais do Trabalho em Goiás.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351