Pela 3ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

O Blog

Até que ponto você vai pelo poder?

Erundina deu uma aula de coerência

 

Luiza Erundina, eu te amo! Até que enfim alguém disse aquilo que precisava ser dito: tudo na vida tem limites. Descartar a vice de Fernando Haddad na disputa pela prefeitura de São Paulo por não aceitar a espúria aliança da com o Paulo Maluf e seu PP foi um tapa na cara dos pastores do pragmatismo político. Aqueles que dizem que vale tudo pelo poder. Aqueles que propagam que o feio é não ganhar a eleição. Aqueles que alardeiam não existir mais ideologias. Erundina mostrou que ainda tem gente que não cospe em seu currículo por 90 segundos na propaganda eleitoral. É preciso repetir: Luiza Erundina, eu te amo!

Em um país onde um ex-presidente pediu para esquecer o que ele havia escrito antes do exercício do poder e outro falou que tudo que dizia quando estava da oposição eram apenas bravatas, a atitude de Erundina é merecedora de aplausos eternos. Ainda existem pessoas que acham que limites são importantes. Algumas coisas são inegociáveis. E gente assim está escassa no mundo político brasileiro. Por isso a nobre atitude da deputada federal pelo PSB é tão destacável. Ainda temos pessoas que se importam com aquilo que construíram ao longo de sua trajetória pública. Um milhão de vivas!

E o caso da aliança entre Maluf e o PT não se trata de coerência ideológica, mas sim de limites éticos. Uma coisa é a convivência democrática entre um partido de esquerda e um de direita. Existem momentos onde as partes cedem para o florescimento de um consenso mínimo e o avanço social. Democracia é isso aí. No caso de Maluf, o problema não é ele ser de direita, e sim os sérios desvios éticos de sua carreira. O cara tem a Interpol fungando no seu cangote. Se ele pisar em alguns países, é grampeado na hora. Cana no autor do famigerado “estupra mas não mata”. Convenhamos, isso não é muito agradável. Eu não estabeleceria uma sociedade com um indivíduo que tenha essa vida corrida. E Lula negociou cargos, barganhou e o levou para o palanque. A galera está indo longe demais.


Todos têm limites. João de Santo Cristo tinha o seu: “não boto bomba em banca de jornal nem em colégio de criança isso não faço não”. Eu tenho o meu: ninguém mexe com minha honra e não deixo passar a mão na minha bunda.

Até onde vai seu limite, leitor?

O limite do Lula está elástico demais para meu estômago. E digo isso de Lula e não do PT, pois o líder do Partido dos Trabalhadores está perdendo o bom senso na sanha de eleger o próximo prefeito da maior metrópole do Brasil. Ele atropela diariamente seu partido em prol desse objetivo. Começo achar que suas apostas estão altas demais nesse jogo. O aperto de mão de um Lula constrangido com um Maluf sorridente, um Haddad entre ambos com cara de bobo, no jardim da casa do pepista é de vomitar feijoada por dias seguidos.

Para piorar, o PSDB está chorando as pitangas por ter perdido esse apoio. O governador Geraldo Alckmin abriga malufistas em sua gestão. São aliados. E José Serra os queria em sua campanha. Os tucanos paulistas também cospem na memória de Mário Covas e Franco Montoro.

Não existe pudor em SP.

Salve Erundina! 


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:

  • Por 75%Jesus 21.06.2012 11:41

    O limite do lula é o psdb paulista.

  • Por Fabrícia Hamu 20.06.2012 06:03

    É verdade, até joão de santo cristo tinha seus limites. É uma pena que na política brasileira eles não existam mais.

  • Por Ana Carolina Castro 20.06.2012 05:54

    Lamentável mesmo essa falta de limites. Ainda estou meio chocada com a notícia, porque cresci em família que apoia o lula e que sempre detonou o maluf. É mais ou menos como me senti também quando vi que demóstenes estava amiguinho do marconi, mesmo depois daquele episódio todo dos tiros e tudo mais. Não consigo digerir esse tipo de coisa e talvez por isso resista à ideia de trabalhar diretamente com jornalismo político.

  • Por Silas Cow 20.06.2012 03:04

    Cuidado! em ano de eleição os políticos fazem o que mais gostam, que é enganar você! na propaganda dos partidos políticos, que ocupa somente o horário dito "nobre" da tv, percebe-se que vivemos em um país onde a educação e saúde são de primeira. O transporte público também é perfeito, esse anos veremos vários candidatos se espremendo em terminais lotados, mas é preciso estar atentos porque o que eles querem é enganar você!!! .

  • Por HAM POLLA 20.06.2012 03:00

    Hoje não existe mais ideologia o que impera atualmente são os minutos de propaganda eleitoral que cada partido possui. é impressionante a cara de pau dos políticos em ano de eleição, seria cômico se não fosse trágico. a juventude precisa tomar as ruas pedindo reforma política, já que, pedindo o fim da corrupção angaria apoio somente de oportunistas que querer tomar o poder .

Sobre o Colunista

Pablo Kossa
Pablo Kossa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG / pablokossa@bol.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
(62) 9956-7336