Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Pablo Kossa
Pablo Kossa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG / pablokossa@bol.com.br

O Blog

Golaço é golaço, não importa onde

Gessé entra para história com jogada incrível | 29.04.14 - 17:56


Goiânia - A notícia já é de alguns dias, mas só tive acesso ao golaço de Gessé nesta terça-feira (29/4). Atuando improvisado de lateral direito, o atacante saiu do banco para impressionar o mundo com um chute daqueles de deixar quem gosta de futebol embasbacado. Por favor, assista ao vídeo e veja se cometo algum exagero quando digo isso:

O goleiro queria botar seu time adiante, já que precisava da vitória para tirar o Andirá da incômoda zona de rebaixamento do Campeonato Acreano. Gessé, por sua vez, tinha como meta não deixar chegar perigo algum perto de sua defesa. Chute do goleiro para frente, a bola atravessa o meio de campo e, antes de encostar no chão, encontra o pé direito de Gessé pronto para, naquele momento, entrar para a história. Um chute com endereço certo que fez tremer o estádio Florestão.

Humilde, o jogador do Atlético do Acre reconhece que não era seu objetivo acertar o gol rival do Andirá. Ele queria afastar o perigo da zaga do seu time e, pegando de primeira, encobriu o goleiro. Uma obra prima, mesmo que involuntária. Quem disse que Ronaldinho Gaúcho queria encobrir o goleiro inglês naquele gol antológico na Copa de 2002? Quem garante que o craque dentuço queria mesmo bater direto ou errou o cruzamento? Ao menos, Gessé reconheceu que o acaso lhe favoreceu.

Com um discurso coletivo na ponta da língua, em entrevista após a partida ele disse que o fato do gol é menor perante a vitória de seu time por 4x1 e a liderança no campeonato estadual do Acre. Além disso, ainda ofereceu o golaço em homenagem ao narrador esportivo Luciano do Valle. Já está pronto também para as entrevistas sabonete que os jogadores dão ao final dos jogos.

É claro que nesses tempos dinâmicos de hoje, tal golaço não passaria batido. Pelé já entrou na onda e disse que quer dar um abraço na estrela acreana de 27 anos. Afinal, Gessé fez o gol que falta no currículo do Rei do Futebol - aquele do meio de campo que por duas vezes ele tentou na Copa de 1970. Existe uma campanha na internet para que seu feito concorra ao gol mais bonito da temporada eleito pela Fifa no Prêmio Puskas. Se quiser participar da mobilização, basta usar a hashtag #GesseNoPuskas.

Gessé recebe R$ 1,5 mil no Atlético-AC. Divide seu tempo entre os treinamentos e no trabalho de frentista em um posto de gasolina em Rio Branco. Como reconhecimento pelo golaço, ganhou uma placa do presidente do clube e uma quantia em dinheiro. Tenho certeza que o atleta sempre sonhou com essa projeção que está tendo agora. Mas também tenho certeza que ele não imaginava que viria com um gol tão bonito e ainda mais atuando em um estadual modesto. Mas a vida é louca e o mundo da bola, como a própria, redondo.

Não sei se Gessé conseguirá contrato com algum clube de mais prestígio depois da jogada brilhante. Não sei se ele conseguirá marcar outros gols tão vistosos. Sei que Gessé conseguiu entrar para a história do futebol do Acre com o gol mais bonito feito por aquelas bandas. E isso não é pouca coisa.


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:

Sobre o Colunista

Pablo Kossa
Pablo Kossa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG / pablokossa@bol.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351