Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Mônica Parreira
Mônica Parreira

/ contato@aredacao.com.br

Histórias da Copa

1958: Copa da Suécia

Brasil deu um verdadeiro show de futebol | 29.05.14 - 23:27 1958: Copa da Suécia Com apenas 17 anos, Pelé foi um dos maiores nomes na conquista do título (Foto: site Fifa)
 
Mônica Parreira

Goiânia -
Foi em solo sueco que o Brasil deu o primeiro passo para se tornar a seleção de futebol mais vitoriosa do mundo. Além de faturar o título do mundial, em 1958, a equipe verde e amarela ainda consagrou nomes que até hoje são lembrados, como Pelé, Garrincha e Bellini.
 
A Fifa registrou 53 seleções para participar das eliminatórias. Ao todo, 16 se classificaram. A anfitriã Suécia e a última campeã Alemanha tinham vaga garantida. Os países foram divididos em quatro grupos de quatro participantes.
 

 
Foi a primeira Copa do Mundo a promover sorteio dando importância às regiões geográficas. Pela mistura de países classificados, a Fifa conseguiu organizar grupos que tivessem representantes de regiões diferentes. A Suécia teve dez anos para organizar o Mundial. Doze estádios foram utilizados para a disputa do título.
 
 A Copa
O técnico Feola sabia bem o que estava fazendo. Em campo, ele montou a seleção brasileira com o sistema 4-2-4. Pelé e Garrincha começaram a competição no banco de reservas. Na estreia, o Brasil venceu a Áustria por 3 a 0. Depois, empatou com a Inglaterra (0 a 0) e, já com a dupla no time titular, embalou: 2 a 0 sobre a União Soviética, 1 a 0 sobre o País de Gales e 5 a 2 sobre a França.


(Foto: site Fifa)

Embalada pela torcida, a seleção sueca conseguiu se sustentar até alcançar espaço na decisão. Motivado, o Brasil queria apagar da memória a última vez que disputou uma final, quando caiu diante do Uruguai em pleno Maracanã, em 1950.
 
Com apenas quatro minutos de bola rolando, a Suécia abriu o placar, com Liedholm. Focado, o Brasil teve poder de reação para alcançar a virada ainda no primeiro tempo. E não se deu por satisfeito. Sobrou espaço para Pelé e Zagallo, na etapa final, ampliarem o marcador. 
 
A Suécia ainda marcou o segundo, aos 35 minutos. Com apenas 17 anos, Pelé se consagrou mundialmente ao marcar o último gol que confirmou o primeiro título mundial do Brasil: 5 a 2 sobre a Suécia. O dia era verde e amarelo.

A seleção brasileira fez história até mesmo na hora de receber o troféu. Quando o capitão Bellini pegou a taça nas mãos, ele a ergueu, eternizando o gesto que é tantas vezes repetido até hoje.

 Curiosidades
- Duas seleções consagradas ficaram de fora desta edição: a bicampeã uruguaia e a campeã italiana. Elas chegaram a participar das eliminatórias, mas o rendimento não foi suficiente para disputar o Mundial daquele ano;
 
- Antes de garantir a taça, o Brasil teve um período intenso de treinamentos: foram três meses de atividades intensas. A delegação brasileira contava até com um psicólogo;

- Foi a primeira vez que todos os países que formam o Reino Unido estiveram marcaram presença: Inglaterra, Escócia, País de Gales e Irlanda do Norte.


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:

Sobre o Colunista

Mônica Parreira
Mônica Parreira

/ contato@aredacao.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351