Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Raisa Ramos
Raisa Ramos

Raisa Ramos é jornalista, autora do blog Algum Lugar Etc., apaixonada por cidades, viagens e fotografia / raisa.ramosp@gmail.com

Algum lugar

Os encantos da cidade de Goiás

Frissom turístico ainda não chegou lá | 11.07.14 - 15:28

Para ler ouvindo:
Clube da Esquina | Me deixa em paz

DSC02144
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Com relação a Pirenópolis, Goiás, na maioria das vezes, sai perdendo a disputa: não tem a quantidade de cachoeiras que a primeira tem, nem o glamour, nem a quantidade de restaurantes bons, nem a infraestrutura turística que a outra proporciona. Mas é exatamente isso que faz de Goiás uma cidade tão charmosa: é mais pacata e tranquila – parece que parou no tempo e o frissom turístico ainda não chegou lá.

No quesito gastronômico, os restaurantes são mais humildes – a comida caseira é a rainha. Apesar disso, engana-se quem pensa que não há nada para se fazer em Goiás. Há muita coisa! E se for na época do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), tem mais coisa ainda ;) Para facilitar a vida de quem vai, selecionei meus lugares preferidos.

DSC02156
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Tour a pé pelo centro histórico – por favor, a não ser que você fique hospedado em uma pousada mais afastada, não use o carro dentro da cidade! É tudo pequeno e perto, e não há nada mais charmoso do que andar pelas ruas de pedra, ver as casinhas lindas da cidade, descer o Largo do Chafariz, passar pelo Coreto… Aliás, essa é minha próxima dica!

Sentar na sombra e tomar uma cervejinha na praça do Coreto – apenas faça.

DSC02148
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Casa da Cora Coralina (Rua Dom Cândido Penso, 20) – mesmo que você não goste dela, vale visitar o lugar por dois motivos: primeiro que a casa é linda, grande e antiga; segundo que Cora é muito foda para a história literária. Descobri nesse passeio que ela foi a primeira mulher do Brasil a receber o Prêmio Juca Pato, concedido pela União Brasileira de Escritores, já entregue a Jorge Amado, Érico Veríssimo, Sérgio Buarque de Hollanda, Carlos Drummond de Andrade e vários outros escritores do nível. Aliás, Carlos Drummond era apaixonado em Cora e escreveu um poema para ela.

Museu das Bandeiras – prédio histórico bonito e grandioso, localizado no Largo do Chafariz. No século XVIII, foi construído para ser a Câmara e a Cadeia da cidade.

DSC02163
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Empadão goiano – apenas coma. Você vai encontrar em praticamente toda esquina.

Mercado Municipal – aberto e com arquitetura antiga, o lugar tem de tudo: lojas de sapatos, verdurões, antiguidades e lanchonetes de dar água na boca. Coma um pastel! De sobremesa, peça um bolinho de arroz do Primeiro e Único Bolo de Arroz da Dona Inês ;) Se preferir, vá lá tomar café-da-manhã.

Ateliê Trapiche Pizzaria (Rua do fogo, 16) – com pizzas artesanais assadas no forno à lenha e uma decoração charmosa, o lugar é o mais aconchegante da cidade, na minha opinião.

DSC02194
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Bodega Fantástica (Rua Dom Cândido Penso, 26) – tão fofo quanto a Trapiche, a Bodega também tem uma decoração linda. O cardápio privilegia crepes e cafés. Às vezes rolam umas apresentações artísticas e exposições.

Braseiro – restaurante caseiro de fogão à lenha localizado no Largo do Chafariz. Lá o preço é por pessoa, então vá com fome e se jogue no frango ao molho e arroz com pequi ;)

Flor de Ipê – restaurante do mesmo esquema do Braseiro, só que com mais opções e uma mesa de doces caseiros sensacional!

DSC02279
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Pôr-do-sol na Igreja Santa Bárbara – são vários degraus até conseguir chegar no topo do morro onde está a igreja, mas a vista é lindíssima. Dá para ver toda a cidade e a Serra Dourada no fundo.

Teatro São Joaquim (Beco da Lapa) – é o primeiro teatro do Centro-Oeste. Hoje funciona como cinema.

Bar do Coco – esse bar surgiu tímido e sorrateiro e hoje é um dos lugares que mais bombam durante o Fica, com showzinhos e discotecagens legais. Fica de frente para o rio, ao lado do restaurante Dalí.

Morro do Macaco Molhado – indico apenas durante o Fica, onde se torna um inferninho do forró na madrugada, rs. Fora do festival, o lugar tem outra proposta. Se parece mais com uma cena de um filme do Cláudio Assis do que com uma baladinha legal.

DSC02177
 
 (Foto: Raisa Ramos)

Êee, Goiás… Nem vejo a hora de voltar! Já estou com o coração doendo de saudades.


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 15.07.2014 11:06 Mariana

    SENSACIONAL!! Deu até saudade de voltar...

Sobre o Colunista

Raisa Ramos
Raisa Ramos

Raisa Ramos é jornalista, autora do blog Algum Lugar Etc., apaixonada por cidades, viagens e fotografia / raisa.ramosp@gmail.com

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351