Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Leticia Borges
Leticia Borges

Leticia Borges é especialista em Língua Portuguesa, jornalista, professora e palestrante. / leticia.textos@gmail.com

Língua e letra

O português continua essencial

Enem exige muito conhecimento da língua | 26.01.15 - 15:49
Goiânia - O ano começou com muitas novidades para quem pôs os pés no ensino médio agora. Com o Sisu e o Prouni implantados na maioria das universidades, os colégios estão se transformando para acompanhar as mudanças.

Em alguns estabelecimentos o antigo boletim em que vinham as notas de cada matéria separadas já tem outro formato: a nota vem por grupos de disciplinas, como nos cadernos do Enem.

Essa comunicação entre as disciplinas exige um esforço maior do estudante. Felizmente o tempo da decoreba está acabando. Ouço comentários tristíssimos de pessoas dizendo que não é preciso estudar gramática, que no Enem não há questões de gramática e outras coisas similares.

Não é bem assim que acontece. Caso alguém queira se descuidar do português, peço que reveja sua decisão. Por mais que não haja questões sobre períodos compostos, classes gramaticais e flexões do verbo explicitamente, isso acaba aparecendo na prova toda.

As questões do Enem estão cada vez mais analíticas e adaptadas a situações cotidianas. De nada adianta saber fórmulas sem ser capaz de interpretar o enunciado, sem compreender aonde o examinador quer chegar.

Por isso a leitura de qualidade, o hábito de escrever e o debate saudável são essenciais para a formação do candidato que o MEC aparenta querer nas universidades públicas: uma pessoa capaz de acrescentar no processo de construção de conhecimento.

Para fazer essa diferença é essencial a habilidade da comunicação, tanto oral quanto escrita. Um texto de 30 linhas vale mil pontos, e cerca de quinhentas mil pessoas conseguiram tirar zero e ficaram fora do processo, independentemente da nota conquistada nos demais cadernos.

Isso significa que uns oito por cento dos candidatos a uma vaga em uma universidade pública não foram capazes de atender aos comandos e se comunicar por escrito a contento. Isso sem contar com as notas 100, 200, 300, 400, que a meu ver também demonstram dificuldade de comunicação.

A redação nota mil reúne criatividade, senso crítico e profundos conhecimentos de ortografia, concordância, gramática aplicada ao texto. Sem isso o aluno pode confundir o sentido das palavras, o lugar das vírgulas, os conectivos adequados e apresentar um emaranhado de ideias que provavelmente não vai valer muitos pontos.

A língua portuguesa continua sendo a disciplina base de todo processo avaliativo. Só mudaram a forma da cobrança. E por que eu estou falando sobre isso hoje, que saiu o resultado do Sisu? Porque para muita gente essa caminhada está apenas começando. E é melhor começar agora e ter foco.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:

Sobre o Colunista

Leticia Borges
Leticia Borges

Leticia Borges é especialista em Língua Portuguesa, jornalista, professora e palestrante. / leticia.textos@gmail.com

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351
Ver todas