Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Em Pirenópolis

Pesquisa revela que turismo na Festa do Divino valoriza saberes locais

Estudo foi realizado pela UFG | 16.05.18 - 08:24 Pesquisa revela que turismo na Festa do Divino valoriza saberes locais (Foto: Nicolau El-Moor / Embratur)
A Redação

Goiânia
- Prática econômica, o turismo pode contribuir para a valorização de outros saberes e modos de vida, diferentes daqueles apreciados pela sociedade capitalista e ocidental. A conclusão é de uma pesquisa realizada pela Universidade Federal de Goiás (UFG), que investigou a Festa do Divino Espírito Santo, em Pirenópolis.

De acordo com o estudo, o festejo goiano gera interesse devido as suas práticas populares, a vivência entre as pessoas, a sociabilidade e até a forma de se produzir alimentos.

Dessa forma, o turismo gera o desenvolvimento da cultura e dos saberes locais.  “Entrevistei pessoas de São Paulo, do Rio Grande do Sul e percebi a presença até de estrangeiros. Estavam ali exclusivamente por causa da festa popular, baseada em tradições seculares. Posso dizer que, minimamente, o turismo tem a capacidade de gerar o reconhecimento de produções locais e ainda assim trazer desenvolvimento econômico”, afirma o pesquisador e servidor da UFG, Marco Aurélio Fernandes Neves.

De acordo com ele, antes da década de 1970, o evento no interior goiano era esporádico, ocorria um ano sim, outro não. Somente depois do interesse turístico é que o festejo foi retomado anualmente. “Outro dado sintomático é que a parte cultural do casório de Pirenópolis é mais preservada do que a parte do casório colonial de Corumbá de Goiás, cidade que se desenvolveu no mesmo período, durante a exploração do ouro em Goiás”, afirma.  

Mas o pesquisador faz uma ressalva. O turismo pode promover o reconhecimento e o desenvolvimento de novos saberes e novos modos de vida, mas também pode inviabilizá-los. “Por exemplo, quando gera impactos socioambientais irreversíveis, a partir de uma compreensão deturpada do valor turístico ou mesmo imediatista e meramente econômica”, explica.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351