20h30 às 21h30  31.03.2012 12h49
125 cidades brasileiras aderem à Hora do Planeta

Prédios em Goiânia também ficam no escuro

125 cidades brasileiras aderem  à Hora do Planeta Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, registrado com as luzes apagadas. (Foto: divulgação WWF-Brasil)


Marina Morena

Para causar um impacto de reflexão sobre questões ambientais, a Hora do Planeta convida o mundo todo para apagar as luzes, neste sábado (31/3), das 20h30 às 21h30. No Brasil, 24, das 26 capitais estaduais, vão participar do movimento que se espalhou por todas as regiões do país. Serão 546 monumentos apagados em 125 cidades.

Em Goiânia, as luzes do viaduto Latif Sebba, localizado na Praça do Ratinho, e do viaduto T-63, no Setor Bueno, serão desligados por uma hora. No monumento da T-63 será realizado um ato público que vai reunir participantes do movimento e distribuir mil mudas nativas do cerrado. A ação, que é uma parceria entre a Agência Municipal do Meio Ambiente (Amma), a Companhia de Urbanização de Goiânia (Comurg) e a Secretaria Municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico (Semturde), visa a integrar a população com as ações ambientais desenvolvidas pela prefeitura.

Além disso, os dois principais prédios das agências dos Correios, da Praça Cívica e do complexo operacional da Vila Brasília, terão parte das luzes apagadas nesse período. Pelo quarto ano consecutivo, os restaurantes McDonald's vão aderir ao movimento, além do Goiânia Shopping e do Flamboyant, que também confirmaram as participações.

A Rizzo Imobiliária declarou apagão geral para se solidarizar com a Hora do Planeta. O prédio todo da matriz, no setor Sul, será desligado, assim como o luminoso no topo. Todas as unidades da empresa, nos Estados de Goiás, Tocantins e no Distrito Federal, ficarão no escuro.

O movimento
Lançada na Austrália, em 2007, o movimento vem crescendo para se tornar a maior ação voluntária pelo planeta da terra. Este ano, conta com a participação de 147 países, que será registrado do espaço pelo astronauta e embaixador do WWF (“World Wildlife Fund” – traduzido como “Fundo Mundial da Natureza”), André Kuipers.

A organização possui sedes em todo o planeta e luta por ações para minimizar as mudanças climáticas. Entre os países que participam pela primeira vez estão a Líbia, Argélia e Butão.

Entre os monumentos que terão suas luzes desligadas destacam-se: a Torre de Tóquio, a Grande Muralha da China, o Estádio Nacional de Pequim (Ninho de Pássaro), o Museu da Líbia, Biblioteca Nacional da Bielorrússia, a Torre Eiffel, o Louvre, Portão de Brandenburgo, a Torre de Pisa, a cúpula da Basílica de São Pedro no Vaticano, Palácio de Buckingham, a Tower Bridge, Casas do Reino Unido do Parlamento , Big Ben, Cristo Redentor, Times Square, o Empire State Building, a sede da ONU e vários outros.

No Brasil
No Rio de Janeiro, cidade oficial do movimento no Brasil, as luzes do Cristo Redentor, da orla de Copacana, dos Arcos da Lapa e muitos outros símbolos serão apagadas às 20h30.

Além disso, em cada cidade, as prefeituras, organizações, empresas e até mesmo os cidadãos engajados estão preparando sua programação. Da pedalada ao jantar à luz de velas são muitas as opções e todo mundo pode participar, desligando as luzes neste ato simbólico contra o aquecimento global e os problemas ambientais que a humanidade enfrenta. (Com informações da WWF-Brasil)

Comente


Comentários



Publicidade

Publicidade