Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Cidade de Goiás

Oficina de bordados, filmes e música estão presentes no 3º dia do Fica

Confira a programação completa | 22.06.17 - 10:38 Oficina de bordados, filmes e música estão presentes no 3º dia do Fica (Foto: Flávio Isaac/Fica)
 
Mônica Parreira
 
Cidade de Goiás – Conhecido por reunir as maiores riquezas culturais da cidade de Goiás, o Mercado Municipal iniciou nesta quinta-feira (22/6) a agenda de atividades do terceiro dia de Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica). Quem visitar o local poderá participar de uma oficina de bordado e poesia. 
 
A atividade no Mercado Municipal é realizada pelo As Coralinas, um projeto que reúne diversas mulheres vilaboenses que carregam nos seus dons as tradições da histórica Vila Boa. A programação cultural do 19º Fica também ocorre em outros pontos da cidade, como na Praça do Chafariz, que recebe a Tenda Multiétnica – um espaço para os povos do Cerrado. 

Leia mais:
Debates, rodas de conversa e muitas oficinas marcam segundo dia do Fica
 
Mantendo o seu roteiro original, o Fica chega ao terceiro dia com a exibição de mais de 15 filmes de diversas mostras. Também promove oficinas, debates e rodas de conversa sobre meio ambiente e cinema. Toda a programação é gratuita.

À noite, música medieval, MPB e blues prometem encantar o público. Às 19h30, o grupo Ucelli apresenta o Canto Medieval na Igreja São Francisco. Às 20h30, o Palácio Conde dos Arcos recebe a MPB do jovem cantor Bruno Morenno no show Encalço e às 21h15 o veterano Valter Mustafé apresenta o show Valter Mustafé MPBlues, em que mistura sonoridades do blues com a música popular brasileira. 
 
Para quem pretende visitar a cidade de Goiás nos próximos dias, o jornal A Redação preparou um guia de hospedagens, clique aqui e oriente-se. O preço das diárias varia de R$ 20 a R$ 120. O 19º Fica vai até domingo (25/6).
 
Confira os filmes que serão exibidos nesta quinta-feira (22):
 
Mostra competitiva
Local: Cineteatro São Joaquim e Cine Cora Coralina
Horário: das 15h às 17h03
Filmes/sinopses:
 
- Roozegari Hamoun (documentário, 35min), de Mohammad Ehsani (IRÃ): Desde que o Lago Hamoun secou, inúmeros problemas ambientais e sociais apareceram na região do Sistão, sudeste do Irã. O fim do lago trouxe pobreza, emigração e a extinção de trabalhos tradicionais e locais. Este documentário retrata a atual situação do Lago Hamoun e os problemas das pessoas ao seu redor.
 
- Ty siudy bolsh ne verneshsia (documentário, 78min), de Dmitri Makhomet (BIELORRÚSSIA): Verão. Uma idosa retorna à sua casa. Um dia após outro, ela tenta reviver esse lugar quase abandonado e coberto por grama.
 
- Der Block (documentário, 10min), de Nadine Boller (SUÍÇA): No meio das estepes do Quirguistão, uma fundação que remonta à era soviética vem ganhando importância cada vez maior no dia a dia dos nômades.
 
- Terra e Luz (ficção, 74min), de Renné França (BRA): Em um futuro próximo, o ser humano foi praticamente dizimado por criaturas que se assemelham a vampiros. Neste mundo em que a noite é mortal, um homem tenta sobreviver a qualquer custo, ao mesmo tempo em que tem a chance de recuperar sua própria humanidade.
 
- L’Ours Noir (ficção, 15min), de Méryl Fortunat-Rossi e Xavier Séron (FRA/BEL): Regra #1: Nunca alimente os ursos. Regra #2: Não se aproxime a menos de 100 metros. Regra #3: Evite surpreender os ursos. Regra #4: Mantenha o seu cachorro na coleira. Agora que você conhece as regras, nós desejamos a você uma agradável estadia no parque natural dos ursos negros.
 
 
15ª Mostra ABD Cine Goiás
 
Local: Cineteatro São Joaquim 
Horário: das 19h30 às 21h
Filmes/sinopses:
 
- Estou na Cachoeira (documentário, 21min), de Lucas Matheus da Silva Prado (cidade de Goiás): Um grupo de estudantes encontra Césio, um senhor que trabalha como guia turístico da Cachoeira e Mata das Andorinhas, na Cidade de Goiás. Do encontro, nasce um documentário sobre o homem que não é só um guia, mas o guardião de um santuário encantado, rodeado de mistérios.
 
- Uma visita (documentário, 11min), de João Novaes (Goiânia): " Uma visita" é um documentário poético sobre o processo criativo do artista plástico Siron Franco. A intenção é levar o espectador a uma visita lúdica a seu atelier e a uma imersão em suas obras.
 
- Altar (experimental, 25min), de Divino Conceição (Goiânia): A ideia de um olhar sobre o existencialismo religioso, influente, cronológico tradicionalmente, especial, comovente com seus protagonistas realistas, simbólicos, folclóricos cheios de fé, louvores, romaria, caridades, esperanças, votos e presentificação do fenômeno milagre.
 
- Assim Nascem as Amoras (experimental, 4min), de Larry Sullivan (Goiânia): “São pequenas porém ricas no sabor. Falo de um pé de amora que não foi semado, mas sim encontrado no quintal de casa”.
 
- O Violeiro Fantasma (animação, 6min), de Wesley Rodrigues (Aparecida de Goiânia): O Violeiro fantasma com o som de sua viola, apresenta um sertão mágico e psicodélico através da poesia de cordel.
 
- Mademoiselle do Rap (documentário, 17min), de Raphael Gustavo da Silva (Goiânia): Um pouco da vida, trajetória e luta contra o preconceito de Lulu Monamour, que se auto-intitula o primeiro cantor de rap assumidamente homossexual no Brasil.
 
 
Mostra Paralela do Cinema Brasileiro 
 
Local: Cineteatro São Joaquim 
Horário: 21h
Filmes/sinopses:
 
- No Intenso Agora (documentário, 127min), de João Moreira Salles (BRA): Documentário político que justapõe, através de imagens de arquivo, uma série de acontecimentos diferentes da década de 1960, como: a revolta estudantil em Paris, a Primavera de Praga em meio a dominação da União Soviética e a China de 1966 sob o regime de Mao, experienciado pela mãe do diretor na época.
 
 
IX Mostra Infantil – Fica Animado
 
Local: Cineteatro São Joaquim 
Horário: 8h às 9h
Filmes/sinopses:
 
- Where Have the Flowers Gone (animação, 7min), de Sin-hong Chan (CHINA): Um porquinho perseguindo o sonho numa grande fábrica, mas, na realidade, todos os seus esforços parecem em vão, até mesmo o de matar a si mesmo. O conceito é inspirado pelos filmes clássicos do cinema mudo, Metrópolis e Tempos Modernos. O título baseia-se na música “Para onde foram todas as flores?”. A música original usa o desaparecimento das flores, contando o desaparecimento das pessoas na guerra. Aqui está um símbolo de um porquinho perdendo a cabeça na cidade.
 
- O Violeiro Fantasma (animação, 7min), de Wesley Rodrigues (BRA-GO): O Violeiro fantasma com o som de sua viola, apresenta um sertão mágico e psicodelico através da poesia de cordel.
 
- Au Revoir Balthazar (animação, 9min), de Rafael Sommerhalder (ALE): Um corvo medonho, uma tempestade, uma perna quebrada. O som ressonante de uma concha do mar. Partindo para sempre.
 
- O Caçador de Árvores Gigantes (animação, 10min), de Anttonio Pereira (BRA-RS): Uma arca enterrada revelava um mapa, com o caminho para Árvores Gigantes. Encontrada por um curioso menino que agora com ajuda de seu amigo Bicho­do­mato vão a caça das Árvores Gigantes, que acreditam estarem presas no céu. Assim começa esta aventura, onde um menino e seu amigo buscam resgatar das Árvores Gigantes do céu.
 
- Automatic Fitness (animação, 22min), de Alberto Couceiro e Alejandra Tomei (ALE): É uma poesia labiríntica sobre o automatismo humano. Uma reflexão sobre nossa relação cotidiana com o tempo e com o dinheiro. Uma tragicomédia animada que brinca com o conceito de toda uma aceleração de permeação. É sobre o estrangulamento de uma loucura diária e os automatismos, sobre o quais somos forçados a viver, trabalhar, respirar, pensar e: existir. É uma paródia deste já envelhecido e então chamado “estilo de vida moderno".
 
 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351