Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Durante Kill Bill

Uma Thurman denuncia assédio de Harvey Weinstein e abuso de Tarantino

Produtor negou e vai acionar advogados | 05.02.18 - 10:05 Uma Thurman denuncia assédio de Harvey Weinstein e abuso de Tarantino (Foto: Just Jared)
Yuri Lopes

Goiânia
- O jornal The New York Times publicou em sua edição do último sábado (3/2) uma reportagem com o relato detalhado da atriz Uma Thurman sobre os episódios de abuso sexual cometidos pelo produtor de cinema Harvey Weinstein. Leia a matéria, em inglês, aqui.  

Intitulado de “É por isso que Uma Thurman está com raiva”, o texto traz o relato da atriz sobre o episódio de abuso de poder por parte do diretor Quentin Tarantino, com quem Uma trabalhou em Pulp Fiction e nos dois volumes de Kill Bill.  

Também ao mesmo jornal, Harvey disse que vai analisar quais procedimentos legais poderá tomar contra a atriz por conta de suas acusações.  

Uma revelou que foi assediada por Weinstein pela primeira vez em um quarto de hotel em Paris, enquanto ambos conversavam sobre um roteiro e o produtor teria tirado o roupão. “Ele me pediu para segui-lo até um local que era uma sauna. Eu estava de pé, com bota, calça e jaqueta de couro, e estava tão quente que eu disse que aquilo era ridículo e perguntei o que ele estava fazendo. Harvey ficou muito nervoso e no fim desistiu de continuar”, contou ela.  

Segundo Uma, o primeiro ataque ocorreu na suíte de Harvey no Hotel Savoy, em Londres. “Ele me jogou para baixo e tentou se esfregar em mim, tentou se mostrar e todas as coisas mais nojentas. Ele me forçou enquanto eu ficava feito um animal tentando fugir. No dia seguinte, um buquê chegou, eu abri e tinha os dizeres ‘Você tem bons instintos’”, revelou ela.  

Tarantino sabia do assédio
Uma contou ao New York Times que ao perceber que ficava apreensiva perto de Weinstein no festival de cinema de Cannes, na França, Tarantino perguntou para a atriz o que houve e ela contou do episódio do Hotel Savoy. De acordo com Uma, o diretor disse algo do tipo “Coitado do Harvey, tentando ficar com garotas que ele não pode ter”.  

A atriz também falou que acredita que Tarantino teria confrontado Weinstein e isso o teria feito pedir desculpas para Uma.  

“Abordagem estranha”????
Um dia após a publicação do texto onde Uma Thurman conta detalhes dos casos de assédio por parte de Harvey Weinstein, o produtor se pronunciou, através de seu advogado, negando as acusações da atriz. No comunicado, o produtor afirma ter feito uma abordagem estranha em Thurman 25 anos atrás, fato do qual ele teria se arrependido e pedido desculpas por isso.  

Leia abaixo a íntegra do comunicado emitido pelo advogado de Harvey:  

Ben Brafman, advogado de Weinsten, diz que Harvey está chocado e triste pelo que ele diz ser falsas acusações de Uma Thurman, alguém que trabalhou com ele por mais de duas décadas. Sr. Weinstein lembra de ter feito uma abordagem estranha em Thurman 25 anos atrás, algo que ele se arrepende e se desculpou imediatamente. O porquê de a Sra. Thurman esperaria 25 anos para discutir publicamente o incidente e o porquê, de acordo com Weinstein, de dizer o que realmente aconteceu incluindo falsas acusações de tentativa de assédio físico ainda é um mistério para Weinstein e seus advogados. O depoimento dela está sendo cuidadosamente examinado e investigado antes de decidir se uma ação legal contra ela será algo apropriado.

"Vou falar quando tiver com menos raiva”
Em novembro do ano passado, quando mais de 80 mulheres, entre atrizes e profissionais de várias áreas de produção de cinema, denunciaram Harvey Weinstein por abuso sexual e moral, Uma Thurman foi questionada sobre o escândalo envolvendo o produtor.  


“Eu aprendi que quando falo com raiva, geralmente me arrependo da maneira como me expressei. Estou esperando sentir menos raiva. Quando estiver pronta, direi o que tenho a dizer”.  

No feriado de Ação de Graças, no final de novembro do ano passado, Uma postou uma mensagem em seu Instagram citando Harvey, ilustrada com uma foto de sua personagem em Kill Bill, que estava em busca de vingança.  



“Feliz Dia de Ação de Graças! Hoje estou grata por estar viva, por todos que amo e por todos que têm a coragem de defender os outros. Recentemente eu disse que estava brava, e tenho algumas razões para isso. Caso vocês não conseguiram perceber no rosto. Acho que é importante ser paciente, ser justo, ser correto, então… feliz Dia de Ação de Graças a todos! (Menos para você, Harvey, e seus conspiradores perversos — fico feliz por isso estar acontecendo devagar. Você não merece um tiro). Fiquem atentos.”, escreveu a atriz na legenda.  

Abuso de Tarantino
Na entrevista ao New York Times, Uma contou que sofreu um grave acidente durante a gravação da famosa cena de Kill Bill onde a atriz dirige um carro conversível com vento nos cabelos.  

Segundo o relato de Uma, um membro da equipe teria alertado que o carro da cena não estava funcionando direito, motivo pelo qual ela não queria fazer a cena realmente dirigindo o carro.  

“Quentin foi ao meu trailer e não quis ouvir “não”. Ele estava bravo porque disse que eu estava atrapalhando o tempo deles. Ele disse: “Te prometo que o carro está bom, é uma linha reta. Corra 60 km/h ou seu cabelo não vai balançar da forma certa e terei que fazê-la repetir”, contou.  

Uma também disse que se sentiu em uma situação péssima, que o assento do carro não estava preso, que a estrada era de areia e não era reta como o diretor havia dito. O carro perde o controle, bate em uma árvore e deixa a atriz com sérios ferimentos em uma das pernas, no pescoço e na cabeça, que bateu no volante, como você pode ver no vídeo abaixo:


Ao jornal, Uma disse que duas semana após o acidente, ela tentou ver o vídeo do acidente, mas foi impedida pelo diretor e pela Miramax, o estúdio de Harvey e seu irmão, Bob Weinstein. Ela então resolveu fazer o pedido pelo seu advogado, mas a Miramax informou que só permitiria ver o vídeo caso a atriz assinasse um termo livrando todos os envolvidos das responsabilidades legais e consequências da saúde dela. A atriz negou a assinar o documento e disse que brigou por anos com Tarantino por conta da recusa do vídeo.  

A atriz contou que Tarantino se desculpou com ela após 15 anos ao entregar o vídeo do acidente. “Não que isso importe agora, já que meu pescoço está danificado permanentemente e meus joelhos estão ferrados”, declarou.  

A atriz termina a entrevista falando sobre a demora na compreensão de toda a história. "Pessoalmente, levou 47 anos para eu parar de chamar pessoas que são más com você de “apaixonadas” por você. Levou muito tempo porque acho que, desde garotinhas, estamos condicionadas a acreditar que a crueldade e o amor, de alguma forma, têm uma conexão. Estamos agora em uma era na qual precisamos evoluir”.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351