Competição  11.04.2012 08h21
São Paulo tenta eliminar jogo de volta na Copa do Brasil

Time enfrenta o Bahia de Feira de Santana

São Paulo tenta eliminar jogo de volta na Copa do Brasil Luis Fabiano recentemente teve que ficar afastado por lesão (Foto: Luiz Pires/ Vipcomm)


Eliminar o jogo da volta contra o Bahia de Feira de Santana, nesta quarta-feira, a partir das 21h50, no interior baiano, é mais do que uma conveniência para o São Paulo. O excesso de atletas desgastados e a nova lesão do volante Fabrício, sofrida no último fim de semana, ameaçam deixar o elenco são-paulino com poucas opções. Assim, os dias de descanso se tornaram uma necessidade neste momento da temporada.

A sequência de 10 vitórias consecutivas já começa a cobrar a conta. Durante a semana, o zagueiro Rhodolfo foi poupado dos treinos para tratar de dores no joelho direito. O também zagueiro Paulo Miranda, que torceu o joelho esquerdo, viajou com o grupo para a Bahia, mas dificilmente estará em campo. E as lesões parecem se repetir: Cortez, Luis Fabiano e Piris recentemente tiveram de ficar afastados por cauda de edema na coxa direita.

"O Rodholfo ficou de fora por opção nossa na segunda. Outros, como Cortez, Lucas e Denis, atuaram em quase todos os jogos", lembrou o técnico Leão, preocupado com o desgaste do elenco. "Às vezes, as pessoas se surpreendem de não ver o atleta no treino, mas isso ocorre para que ele possa ir para o jogo."

Se vencer nesta quarta-feira, o São Paulo iguala os feitos de 1943 e de 1982, quando conseguiu seu recorde de 11 vitórias seguidas. Mas o calendário, a partir daí, começa a complicar. Após a partida contra o Linense, no domingo, o time terá pela frente a fase eliminatória do Paulistão e, passando pelo Bahia de Feira, vai pegar um rival da Série A nas oitavas de final da Copa do Brasil: o adversário sai do confronto entre Ponte Preta e Atlético-GO.

Na primeira fase da Copa do Brasil, contra o Independente, do Pará, o São Paulo venceu por apenas 1 a 0 e não evitou o jogo de volta, quando acabou confirmando a vaga. Para evitar pressão de resultado, Leão garantiu que ganhar por dois ou mais gols de diferença nesta quarta-feira, em Feira de Santana, não é obrigação. O treinador reconheceu, no entanto, que eliminar a segunda partida do confronto daria uma grande ajuda ao departamento médico são-paulino. "Tudo o que for benéfico a gente deseja. E os médicos do clube agradecem", explicou. (Agência Estado)

Comente


Comentários


Publicidade

Publicidade