Copa 2014  10.08.2012 11h32
Pelé admite atraso do País em obras para Copa de 2014



Brasília - Nomeado pela presidente Dilma Roussef como embaixador do Brasil na Copa do Mundo de 2014, Pelé admitiu nesta sexta-feira, em Londres, que, a menos de dois anos para o torneio começar, as obras estão atrasadas e que a maior preocupação é em relação ao sistema de transporte para o torneio.

Em um evento que anunciou a parceria com a empresa MediaCom Sports, ele reconheceu as dificuldades encontradas pelo País. "No momento, para ser honesto, não estamos prontos. Temos pequenos problemas de construção, mas vamos trabalhar duro", explicou o Rei do Futebol, que neste sábado irá acompanhar no Estádio de Wembley a final do torneio masculino de futebol da Olimpíada de Londres, entre Brasil e México.

Para Pelé, o maior problema ainda está no diálogo entre todas as partes envolvidas. "Estamos preocupados porque a comunicação não está tão boa ainda", disse. "Sou um dos brasileiros que lutou para receber esse torneio. Eu costumo dizer que não temos dúvida de que somos os melhores dentro de campo, mas precisamos mostrar ao mundo que somos bons também fora dele."

A Fifa já pressionou o Brasil, o governo federal já bateu de frente com a entidade e muitas críticas já foram feitas à forma como as coisas estão lentas no Brasil. Segundo Pelé, a questão não é só com os estádios. "Acho que o problema será com transporte", afirmou.

Em muitas sedes, os aeroportos estão sobrecarregados e os projetos de mobilidade urbana ainda não saíram do papel. De qualquer forma, o ex-jogador se mostra otimista. "Não é fácil, pois temos dois anos para a Copa. A Dilma disse que vai fazer o melhor para tudo dar certo e acredito que, apesar dos problemas, nós vamos conseguir", aposta. (Agência Estado) 

Comente


Comentários



Publicidade

Publicidade