Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Sabores do Brasil

Chef Rodrigo Oliveira abre restaurante Balaio, na sede do IMS de São Paulo

Decoração tem móveis de Paulo Alves | 25.09.17 - 13:08 Chef Rodrigo Oliveira abre restaurante Balaio, na sede do IMS de São Paulo Chef Rodrigo Oliveira comanda o novo Balaio (Foto: divulgação)  
Regina Galvão
 
São Paulo - Na recém-inaugurada sede do Instituto Moreira Salles, em São Paulo, o restaurante Balaio, do chef Rodrigo Oliveira, prima pela excelência de sabores de diversas regiões do país e pela apurada seleção de móveis assinados por Paulo Alves.
 
“É um restaurante para todos. Informal, caloroso e acessível no preço e no conceito”, diz o chef Rodrigo Oliveira sobre seu mais recente empreendimento, o Balaio, no térreo da nova sede do Instituto Moreira Salles (IMS), localizado na agitada av. Paulista, entre as ruas Bela Cintra e Consolação. O projeto começou a ser rascunhado em 2011, quando Pedro Moreira Salles o convidou a comandar a cozinha e o café do centro cultural, cuja arquitetura foi concebida pelo escritório Andrade Morettin Arquitetos. 

Confira mais fotos de vários detalhes do restaurante aqui.
 
Aos 37 anos, Rodrigo se tornou conhecido como o inventivo chef que levou a elite paulistana para a Vila Medeiros, bairro na zona norte de São Paulo, onde ele prepara delícias sertanejas no seu Mocotó, eleito o 28º melhor restaurante da América Latina pela revista inglesa The Restaurant.
 
O gosto pela cozinha veio da influência do pai, o pernambucano José Oliveira de Almeida, que iniciou o empório Casa do Norte, em 1973. “Aprendi desde pequeno a valorizar a gastronomia inclusiva e nacional. Acho que essas características contribuíram para que eu fosse o escolhido aqui”, opina Rodrigo, proprietário desde 2013 do Esquina Mocotó – de comida autoral inspirada na cultura paulistana e contemplado com uma estrela no guia Michelin – e dos recentes Mocotó Café, no Mercado de Pinheiros e no Shopping D.
 
Para criar o Balaio, o chef contou mais uma vez com a ajuda de Marino Barros, do LAB Arquitetos, responsável por projetar essa e as outras unidades. “O Rodrigo defende a arquitetura da inclusão e o Balaio mantém esse espírito. É um restaurante plural, por estar localizado num centro tão importante como a av. Paulista, mas que não abandona suas raízes”, considera o arquiteto.
 
Na hora de pesquisar o mobiliário do novo espaço, a opção recaiu naturalmente sobre o design brasileiro. “Fomos atrás de profissionais da madeira, pois queríamos que o material contrastasse com o concreto e o vidro do edifício, trazendo conforto e acolhimento”, explica Marino. As peças de Paulo Alves foram as eleitas. “Marino visitou meu showroom com Rodrigo, e ele se encantou com a cadeira Atibainha. Propus fazer, então, a Mocotó, um desdobrabamento desse modelo”, conta o designer.
 
Além da Mocotó, o designer projetou a mesa Carcará, com base de concreto e estrutura de madeira, sugerindo as garras da ave do sertão, e o banco Marino. “No Balaio, minhas peças serão usadas por muitas pessoas. Isso muito me motivou”, afirma Paulo. Para o café no 5º andar do museu, ele desenhou ainda o banquinho Rango e a mesa Tatu, com apenas 40 cm de altura para não impedir a vista do jardim e da escultura do americano Richard Serra, que se estende do térreo até esse pavimento.
 
Para o arquiteto, a brasilidade presente no trabalho de Paulo Alves casou harmoniosamente com a culinária do premiado chef de cozinha, formado pela Faculdade Anhembi-Morumbi. “Ambos valorizam nossas raízes e as interpretam de maneira inovadora”, diz. Além da madeira, o arquiteto selecionou cores quentes para o ambiente. “O laranja e o vermelho remetem à paleta de cores da terra, do sertão”, afirma.
 
No cardápio, que privilegia os ingredientes brasileiros, Rodrigo pretende manter os já consagrados torresmos e dadinhos de tapioca do Mocotó e incluir pratos de diversos estados: arroz de linguiça bragantina; paleta de cabrito assada servida com angu de fubá branco; além de opções vegetarianas, saladas e sanduíches. “O Balaio se inspira no Brasil e olha a tradição com contemporaneidade”, garante.
 
O novo point, cujos almoços e jantares serão servidos sem interrupção, contará ainda com a expertise do capixaba Rafael Welbert, vencedor do primeiro Concurso Nacional de Rabo de Galo entre 29 bartenders. Rafael, que viveu vários anos na Itália, deixará o Esquina Mocotó para se dedicar a drinques artesanais e 100% brasileiros, como prega a essência da cozinha e do design do Balaio. (Texto publicado originalmente no site Boobam)
 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351