Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Na prática e na teoria

Construtora oferece curso sobre segurança nas alturas

Treinamento aborda técnicas de resgate | 11.04.13 - 12:08
 
A Redação
 
Goiânia - Com o objetivo de orientar os profissionais que trabalham com os pés fora do chão, uma construtora de Goiânia oferece, nesta sexta-feira (12/4), um curso sobre segurança nas alturas. A CMO Construtora vai abordar a utilização de equipamentos específicos e noções de técnicas de resgate. O treinamento acontece na obra Portal dos Ipês, no Setor Negrão de Lima, em Goiânia. 
 
A CMO vai realizar o curso em duas partes: o treinamento teórico e o prático. Ambos vão abordar os riscos e cuidados do trabalho nas alturas. O treinamento inclui a simulação de resgate em altura, simulação de situação de risco, legislação e a apresentação de todos os equipamentos de segurança individual e coletiva.
 
O ministrante será o bombeiro especialista em segurança e análise de risco Valter Tinoco. “Acidentes ainda ocorrem, mas hoje em dia a atenção à segurança avançou muito. O problema é que o trabalhador de obra não tem cultura de se proteger”, comentou.
 
A capacitação é uma exigência da Norma Regulamentadora 35 publicada no Diário Oficial da União pelo Ministério do Trabalho no último dia 27 de março. 
 
Confira alguns equipamentos necessários para a realização do trabalho seguro em altura:
Cinto paraquedista: equipamento acoplado nos ombros e pernas do trabalhador. É seguro e não machuca o usuário durante o trabalho.
 
Linha de vida: sistema utilizado para deslocamento vertical ou horizontal do trabalhador em altura. Consiste em um cabo instalado em estruturas fixas (geralmente paredes) e acopladas ao cinto do trabalhador. Em caso de queda, a linha de vida segura o corpo da vítima.
 
Bandejão: sistema de proteção coletiva com objetivo de evitar quedas de materiais no solo e diminuir o impacto no caso de queda de pessoas.
Talabarte duplo com absorvidor de queda: dispositivo que une o cinto paraquedista e a cinta de ancoragem. Tem a função de conectar o trabalhador à estrutura fixa ou ligar o cinto ao dispositivo de ancoragem.
 
Capacete com jugular: capacete com o acessório jugular envolve a parte de baixo da cabeça, evitando que ele saia do lugar ou caia da cabeça do usuário.
 
Redes de proteção: também conhecida como “redes de proteção tipo trapézio”, são instaladas na estrutura dos edifícios para amortecer a queda de um trabalhador, se necessário.
 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351