Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

No celular

Startup cria pesquisa online de preços de materiais de construção

Mercado movimentou R$ 120 bilhões em 2013 | 24.10.14 - 01:50

A Redação
 
Goiânia - Pesquisar preços de materiais para construção não é uma das tarefas mais fáceis. Exige muito tempo e paciência dos profissionais e também um bolso “elástico” de quem encomendou a obra. São milhares de lojistas com valores, condições de prazo e entregas diferentes. Com a finalidade de tornar a busca por esses materiais mais fácil, eficiente e econômica, a startup Valor da Construção estreou no mercado nesta segunda-feira (20/10).
 
Com navegação intuitiva e amigável, a plataforma www.valordaconstrucao.com.br foi criada para qualquer pessoa que queria pesquisar preços de materiais para construção: do proprietário da obra aos profissionais que precisam levantar orçamentos como arquitetos, engenheiros, mestre de obras, pedreiros e construtores liberais. O objetivo é facilitar o processo de compra e venda no setor de construção, oferecendo ao empresário a entrada em novos mercados e aumento de seu faturamento, e ao consumidor a escolha do melhor custo benefício. 
 
À frente do projeto está Glauco Almeida de Oliveira , CEO do Valor da Construção. A startup faz parte do time de empreendimentos potencializados pelo programa do governo federal Start-Up Brasil através da aceleradora credenciada Start You Up, e já havia recebido  aporte dos investidores anjos Alessandra Bruno da Silveira, Orlando Tazinaffo Neto e Itamar Martins.

A experiência dos usuários e atualização em tempo real dos preços são o grande diferencial da plataforma, que conta com parceiros estratégicos como CREA-GO e Acomac-GO, Associação dos Comerciantes de Materiais de Construção de Goiás, AJE-GO, Associação de Jovens Empreendedores e Empresários de Goiás, Comtec-GO, Comunidade Tecnológica de Goiás.
 
“Para conquistar um mercado de público tão eclético, apostamos na usabilidade e na oferta de uma pesquisa ampla e completa. O cliente pode fracionar sua cotação em até três lojas diferentes com a mesma lista de produtos. Isso faz com que a economia seja maior ainda”, afirma Glauco Almeida. 
 
De acordo com a Anamaco (Associação Nacional dos Comerciantes de Material de Construção), o mercado de varejo para materiais de construção possui, aproximadamente, 130 mil lojistas pulverizados pelo país. Desses, 66% possuem até quatro funcionários, com faturamento aproximado de R$ 120 bilhões, em 2013.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351