Morro do Mendanha   09.03.2014 19h11
Jovens vítimas de chacina em Goiânia são enterradas

Polícia investiga autores e motivação do crime

Jovens vítimas de chacina em Goiânia são enterradas Mylleide Morgana, Rayane Kellry e Sinara Monteiro (Foto: reprodução/Facebook)

 
A Redação
 
Goiânia - Os corpos das quatro jovens assassinadas no Morro do Mendanha, em Goiânia, foram velados e enterrados neste domingo (9/3). As garotas foram vítimas de uma chacina ocorrida na madrugada de sábado.
 
Sinara Monteiro da Costa, de 16 anos, foi enterrada nesta manhã, no Cemitério de Trindade, região metropolitana de Goiânia. A família da vítima mais nova, Rayane Kellry Silva, de 15 anos, velou e enterrou o corpo da adolescente no mesmo município.
 
O corpo de Ana Kelly Martins Cardoso, de 19 anos, será enterrado em Araguaína (TO), local onde ela nasceu, enquanto Mylleide Morgana Lagário de Lima Borba, também de 19 anos, foi levada para Itapuranga (GO).
 
Leia mais:
Quatro jovens são encontradas mortas no Morro do Mendanha, em Goiânia
 
O crime
Os corpos das jovens foram encontrados na madrugada de sábado (8/3), no Jardim Petrópolis, em Goiânia, no alto do Morro do Mendanha. De acordo com a Polícia Militar (PM), as quatro garotas levaram tiros na cabeça.
 
A polícia trabalha na tentativa de identificar os autores e descobrir o que teria motivado o crime. Segundo o delegado responsável pelo caso, Murilo Polati, titular da Delegacia Estadual de Investigações de Homicídios (DIH), as investigações apontam que o crime pode ter ligação com o tráfico de drogas e com uma rede de prostituição.
 
Apesar de passarem a maior parte do tempo fora de casa, cada uma das vítimas morava com sua recpectiva família em residências fixas. Duas delas, Ana Kelly e Sinara, tinham um filho cada, ambos com menos de um ano de idade.
 

Comente


Comentários

  • 10.03.2014 08:15 Por Raniel Nascimento de Souza

    Valores familiares a perigo! Famílias desajustadas! Garotas que talvez por não terem uma boa, sólida referência familiar, viviam mais nas ruas, etc. A família (base nodal de uma sociedade) corre perigo, e parece que ninguém está se dando conta disso. Os valores estão sendo jogados no "ralo" em detrimento de uma tal evolução cultural que, por exemplo, tem banido Deus de suas vidas.

  • 10.03.2014 08:14 Por Raniel Nascimento de Souza

    Valores familiares a perigo! Famílias desajustadas! Garotas que talvez por não terem uma boa, sólida referência familiar, viviam mais nas ruas, etc. A família (base nodal de uma sociedade) corre perigo, e parece que ninguém está se dando conta disso. Os valores estão sendo jogados no "ralo" em detrimento de uma tal evolução cultural que, por exemplo, tem banido Deus de suas vidas.



Publicidade

Publicidade