Marcha da Maconha  15.07.2011 18h39
Manifestação pela liberdade do debate em Goiânia

Caminhada até a Praça Cívica reúne 300 pessoas

Manifestação pela liberdade do debate em Goiânia Foto: Adalberto Ruchelle

Jairo Macedo

Dentro da programação do 52º Congresso da União Nacional dos Estudantes (UNE), acontecendo essa semana em Goiânia, coube de tudo um pouco. De abertura dos arquivos da Ditadura a Marcha das Vadias – pela liberação sexual e não-violência da mulher -, tudo foi assunto de debate e manifestação nesses dias.

A última das manifestações, mas não menos incisiva, é a Marcha da Maconha. A concentração começou às 15 horas, na Praça Universitária, e começou no final da tarde. Antes, alguns debates acalorados, ali mesmo na praça, serviram de “aquecimento” para a caminhada que vai até a Praça Cívica. Até o momento, a organização estima que por volta de 300 pessoas participam da movimentação no Setor Universitário. O DCE da UFG ofereceu três carros de som para animar o que promete virar quase uma festa entre os jovens presentes.

Coletivo
Tal caminhada não é um evento isolado. Na verdade, trata-se de um coletivo chamado Marcha da Maconha Brasil, um grupo descentralizado, que reúne pessoas e instituições favoráveis ao debate sobre a discriminilização e legalização da maconha. É da fomentação disso, o debate, que a Marcha é feita – não de apologia às drogas ou incentivo a atividades criminosas, segundo o site (www.marchadamaconha.org) do coletivo prega.

O tema tem ganhado destaque depois que uma das Marchas, em São Paulo, terminou em pancadaria e conflito com policiais. Também o documentário Quebrando o Tabu, com participação do ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso, tem dado força e credibilidade ao levantamento dessas questões.

Manifestação liberada
Ao contrário dessa primeiro confronto em São Paulo, tais manifestações têm agora o aval do Supremo Tribunal Federal. Em Goiânia, também o batalhão policial do Setor Leste Universitário faz a escolta dos manifestantes. Até aqui, nenhuma ocorrência foi registrada.

Comente


Comentários



Publicidade

Publicidade