Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351

Entrevista

Fisioterapeuta explica como o Pilates pode ajudar a evitar dores nas costas

Principal causa da dor é má postura | 27.09.17 - 11:01 Fisioterapeuta explica como o Pilates pode ajudar a evitar dores nas costas (Foto: Maria Paula Lopes) 
Kamylla Rodrigues

Goiânia -
Uma pesquisa recente realizada por Advil com o apoio do Ibope Conecta mostra que, manter uma boa postura corporal no dia a dia é a principal atitude para impedir as dores nas costas e musculares. A prática de atividade física regularmente também é um aliado no combate a esses incômodos. O Pilates, por exemplo, trabalha músculos necessários para dar suporte e estabilização à coluna, refletindo na postura correta.

A fisioterapeuta olímpica Maria Paula Lopes (foto) explicou, em entrevista ao Jornal A Redação, como essa atividade física pode auxiliar no combate dessas dores e como identificar um bom profissional. Confira a entrevista:

Jornal A Redação - Como o Pilates auxilia na correção de postura e eliminação de dores nas costas?
Maria Paula Lopes -
O Pilates trabalha com a ativação da musculatura que é estabilizadora da coluna. Com esse recurso, consequentemente a postura vai melhorar e as dores diminuírem. Claro que vai depender do tipo de dor, porque dor nas costas não pode ser generalizada. Existem várias origens. O primeiro passo é conhecer a causa e origem dessa dor. No geral, a dor lombar generalizada pode ser amenizada com estabilização, alongamento, fortalecimento e articulação da coluna. Com estímulos adequados nesse corpo, a gente vai conseguir eliminar as dores e melhorar a postura.
Muitos pacientes assumem a postura antálgica, que é uma postura de defesa por causa da dor. Ele acha aquela posição mais confortável. O Pilates consegue diminuir esse padrão de dor e trabalhar os estabilizadores da coluna com os estímulos adequados.
 
A.R. -  Quais patologias podem ser tratadas com o Pilates?
M.P.L. -
Todas as patologias, praticamente, exceto hipertensão descompensada, cardiopata descompensada, ou uma hérnia muito aberta ou estrangulada. Esses são casos estremos que são difíceis para a gente entrar direto com o método. Por isso, o mais importante é o profissional conhecer a patologia para fazer uma abordagem correta para aquele paciente, porque dentro de cada patologia, a gente tem um cuidado especial. Por exemplo: um paciente com alguma lesão ligamentar não pode fazer determinados movimentos que vão favorecer a luxação. Vários exercícios do repertorio vão ser eliminados para aquela pessoa específica, mas não quer dizer que todo o método será descartado. Um bom instrutor, com uma boa formação e vasto conhecimento, saberá aplicar o método com suas particularidades.
 
A.R. -  Existe alguma contraindicação para a realização dos exercícios?
M.P.L.
A contraindicação existe em casos de doentes descompensados. Pode ser que nesses casos, o médico suspenda qualquer atividade física. O importante é o instrutor conhecer o método, conhecer bem a patologia, para ele saber indicar e direcionar a atividade para aquela necessidade. Temos visto nas redes sociais muitos exercícios ultra difíceis, que desestimulam as pessoas, mas a escolha dos exercícios está em poder do instrutor, que conhece cada efeito daquele movimento.
 
A.R. -  Como escolher um bom lugar de se fazer Pilates?
M.P.L. –
A primeira coisa é confiar no trabalho do instrutor. A gente também deve buscar um lugar próximo a cassa ou ao local de trabalho para facilitar o deslocamento e evitar atrasos e até faltas. Então, hoje, primamos pela comodidade e qualidade. É importantíssimo olhar a formação do instrutor, se ele tem uma pós-graduação e se tem estudo continuado, porque os bons profissionais buscam atualizações de conhecimento. Então, o ideal é casar: boa localidade com bons profissionais.
 
A.R. -  O Pilates é indicado para quem?
M.P.L. –
É indicado para todos, desde a criança ao idoso. No meu estúdio, por exemplo, temos idosos de 90 anos, que são praticantes de Pilates há mais de 10 anos. Eles têm uma qualidade de vida excepcional. Também tenho uma atleta de natação de 86 anos que compete em várias partes do País. Até o atleta de alto rendimento faz o Pilates por causa do alongamento, ganho de força e organização corporal, propiciando o aumento de rendimento. Para o pós-operatório imediato como forma de reabilitação dentro do método, para a gestante, respeitando cada fase. O Pilates promove o alongamento global, a medida em que também fortalece o corpo, que é trabalhado como um todo.
 
A.R. -  Como a atividade física pode melhorar a qualidade de vida de uma pessoa sedentária?
M.P.L.
A atividade física é importante para qualquer pessoa, porque ela minimiza processos dolorosos e evita problemas que podem ser desenvolvidos pelo sedentarismo, como uma hérnia de disco. São problemas difíceis de serem administrados depois. Praticar exercícios físicos é escolher uma vida sem dores crônicas, com mais mobilidade, mais disposição para atividade de lazer com os filhos, amigos, parentes. Além de liberar endorfina, a ativação da musculatura te deixa revigorado, com mais disposição na vida sexual, profissional e pessoal. Exercícios físicos promovem lucro em todos os aspectos da vida. O nosso corpo não foi feito para ficar parado ou na mesma posição. 

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351