Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Cristiano Parente

Reflexões no Dia Mundial da Atividade Física

| 05.04.17 - 18:43
Neste 6 de abril é comemorado o Dia Mundial da Atividade Física. A data é marcada pela lembrança e reflexão acerca da importância de se manter uma vida ativa e verdadeiramente saudável.
 
A ciência tem nos mostrado cada vez mais a influência direta que a prática regular de atividade física tem sobre a saúde de homens e mulheres de todas as idades. Diversos estudos nos fizeram ver que uma vida ativa tem poder não só de prevenção, como também de combate aos males que acometem a mente, como a depressão e o estresse, o sistema cardiovascular e respiratório, entre tantas outras doenças.
 
Todas essas descobertas só reforçam o poder medicinal contido na educação física. Não à toa muito se fala que ela é considerada a medicina do futuro. Contudo, nesse dia de lembranças e reflexões sobre a importância da prática regular de atividade física, duas questões se fazem necessárias: com toda essa comprovação científica e difusão do tamanho benefício que ela representa para a saúde geral, qual o motivo de considerá-la a medicina do futuro e não do presente? Qual motivo explica ainda uma pequena parcela da população seguir, efetivamente, uma vida ativa, já que mais de 90% da população brasileira, infelizmente, ainda se encontra na faixa sedentária, onde também moram os maiores os riscos às graves doenças?
 
Esse índice tão baixo de adesão tem algumas explicações e alguns responsáveis. Um deles é a própria pessoa, que troca qualquer oportunidade de se movimentar pela facilidade proporcionada pela tecnologia e pela modernidade. Encostada na preguiça, não se sente motivada nem mesmo a buscar alguma atividade que goste e que lhe traga prazer.
 
O governo, por sua vez, também tem sua responsabilidade, ao não tratar a prática de atividade física com a atenção devida, como um verdadeiro caso de saúde pública. Nas cidades de todas as regiões do país você vai ouvir dos habitantes a carência de bons locais e de programas que incentivem o cidadão a levar uma vida ativa.
No rol de responsáveis, também entram os profissionais da área, muitos dos quais ainda não entenderam a forma correta de se atrair a pessoa para o saudável hábito de praticar exercícios.
 
Seja nas academias ou nas escolas públicas e privadas do país, educadores físicos simplesmente passam aos seus alunos atividades e movimentos de forma mecanizada, sem ter a preocupação de transmitir de forma efetiva todo o seu conhecimento, como explicar como o corpo funciona, qual a importância da realização de um movimento, quais os benefícios e os resultados que cada ação e cada exercício gerará para a saúde.
 
Para quem já não tem qualquer motivação de praticar uma atividade física, esse modo atual de ação dos profissionais acaba por espantá-lo de vez de qualquer forma de exercício.
 
É preciso mudar. Se a ciência usa a atividade física para suas descobertas, que a atividade também se aproveite da ciência para evoluir. Para fisgar o cidadão para uma vida ativa, profissionais da educação física já têm adquiridos os conceitos e conteúdo de diversas áreas. Basta utilizá-los, de maneira interdisciplinar, através dos métodos mais modernos de didática, pedagogia e organização, e, principalmente, traduzindo tudo isso em uma linguagem que todos entendam e que seja atraente.
 
Com esse salto de qualidade no atendimento e no entendimento humano, certamente veremos aumentar o número de pessoas ativas, motivadas à prática de atividade física e, claro, muito mais saudáveis.
 

*Cristiano Parente é professor e coach de educação física, eleito em 2014 o melhor personal trainer do mundo em concurso internacional promovido pela Life Fitness. É CEO da Koatch Academia e do World Top Trainers Certification, primeira certificação mundial para a atividade de educador físico.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351