Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Mônica Parreira
Mônica Parreira

/ contato@aredacao.com.br

Histórias da Copa

1982: Copa da Espanha

Itália rouba a cena em campo | 04.06.14 - 16:16 1982: Copa da Espanha (Foto: site Fifa)

Mônica Parreira

Goiânia - A Espanha foi contemplada para sediar a Copa de 1982, mas foi só. Em campo, quem roubou a cena foi a Itália, que igualou o feito da seleção brasileira e se tornou a segunda nação a conquistar o Mundial três vezes.
 
O torneio passou a ser disputado por 24 seleções, o que aumentou a chance de novos países participarem. Pela primeira vez, Argélia, Camarões, Nova Zelândia, Honduras e Kuwait disputaram a taça.
 
O mascote escolhido pelos espanhóis foi bastante característico: uma laranja vestida com as cores da bandeira e segurando uma bola com as mãos. Era uma forma de homenagear uma das maiores potências econômicas do país. 
 

 A Copa
Discreta, a Itália foi melhorando o desempenho conforme avançava no torneio. Na etapa inicial de grupos, os italianos empataram as três partidas, contra a Polônia (0 a 0), Peru (1 a 1) e Camarões (1 a 1). Apesar de não ter comemorado nenhuma vitória, o feito foi suficiente para avançar.
 
A grande prova de fogo talvez tenha sido encarada no triangular da segunda fase, quando a seleção italiana enfrentou a Argentina e o Brasil. E venceu os dois confrontos, 2 a 1 sobre os hermanos e 3 a 2 sobre o Brasil. Na semifinal, despachou a Polônia (2 a 0), e pegou a Alemanha Ocidental na decisão.
 

(Foto: site Fifa)
 
Já respeitada pela campanha que acumulou, a Itália estava confiante e conseguiu converter isso em gols. Rossi, Tardelli e Altobelli marcaram. A Alemanha ainda fez o de honra, com Breitner, mas o jogo já estava perdido. A Azzurra era tricampeã do mundo.

 Seleção brasileira
O técnico Telê Santana contou com peças preciosas na escalação. Considerada por muitos a equipe mais forte desde 1970, o grupo contava com nomes como Zico, Falcão e Sócrates. Na primeira fase, o time foi a sensação do torneio, vencendo os três jogos disputados: União Soviética (2 a 1), Escócia (4 a 1) e Nova Zelândia (4 a 0).
 
Ao avançar na competição, o Brasil aplicou 3 a 1 na Argentina. Depois, precisava apenas de um empate contra a Itália para garantir vaga na semifinal.

Apesar de Sócrates e Falcão terem feito um gol cada, a Azzurra já sinalizava que merecia ficar com o título. Paolo Rossi marcou três vezes e atrapalhou os planos da seleção brasileira, que buscava o tetra.

 Curiosidades
- A 12ª edição da Copa do Mundo foi a última a contar com bola totalmente de couro. Além da mudança do objeto, o torneio passou a contar com 24 seleções ao invés de 16, o que provou adaptação na fórmula de disputa;

- Foi em 1982 que Diego Maradona começou a mostrar seu jeito impulsivo. Logo depois que o Brasil eliminou a Argentina, na segunda fase, o jogador argentino deu um pontapé em Batista e foi expulso de campo;
 
- O tradicional prêmio Bola de Ouro Fifa foi para o italiano Paolo Rossi. A bola de prata ficou com o brasileiro Falcão.

Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 04.06.2014 18:27 Sebastiao

    Excelente.! Poderia colocar o s jogadores brasileiros em todas?

Sobre o Colunista

Mônica Parreira
Mônica Parreira

/ contato@aredacao.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351