Pela 5ª vez o mais influente da web em Goiás. Confira nossos prêmios.

Sobre o Colunista

Pablo Kossa
Pablo Kossa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG / pablokossa@bol.com.br

O Blog

Anão sim, mas sem sangue palestino nas mãos

Árabes não estão certos, mas Israel erra mais | 26.07.14 - 08:18


Goiânia - Finalmente algo para nos orgulharmos na política brasileira, mesmo que seja externa. A decisão de retirar o embaixador brasileiro de Tel Aviv para consultas mostra que o Brasil não concorda, não compactua com o que está acontecendo na Faixa de Gaza. 

Sei que o medo provoca descontrole, sei que a ira cega. Por isso até que dou um desconto para a desastrosa declaração do porta-voz do Ministério das Relações Exteriores de Israel, Yigal Palmor, para o jornal The Jesuralem Post em que afirma que o Brasil é um anão na seara diplomática. Com toda sinceridade, prefiro ser um anão na diplomacia do que dormir com o peso de consciência de estar com as mãos sujas de sangue de crianças e mulheres palestinas. Se isso é que impõem estatura diplomática na lógica do governo de Israel, na boa, é melhor morrer de velho na irrelevância.

Só sendo muito partidário para não perceber que Israel usa de força desproporcional contra a Palestina. É evidente que estão dando tiro de bazuca para matar um camundongo. A desproporção das forças israelitas contra o questionável Hamas na Faixa de Gaza pode ser comprovado com números. O Ministério da Saúde de Gaza informa que durante a ofensiva militar israelense morreram 813 pessoas e 5.237 ficaram feridos. Segundo o escritório da ONU para a Coordenação de Assuntos Humanitários, dos que faleceram pelo menos 578 são civis, sendo que são 185 crianças e 93 mulheres. 

Do lado de Israel, os números são infinitamente menores. Morreram 36 israelenses, dois deles civis. Com todo respeito à dor das famílias que perderam entes queridos, afinal de contas, uma morte sempre é uma chaga gigantesca, a diferença de números não é razoável e evidencia que estão reagindo com uma força descomunal contra a ofensiva do Hamas. 

Não sou ingênuo para santificar um lado e demonizar o outro. Sei de todos os problemas do mundo árabe - repressão pesada à mulher, perseguição aos homossexuais, tiranias, liberdades individuais cada vez mais limitadas. Nesse cenário, Israel aparece como um oásis no meio das trevas. Mesmo que capengando, o país judeu é uma democracia, as liberdades civis são minimamente respeitadas e as mulheres têm direitos bastante semelhantes às do mundo ocidental.

Por outro lado, constatar isso não me impede de condenar a violência extrema que o país está impondo aos palestinos da Faixa de Gaza. 

Mesmo que com nossa baixa estatura diplomática de acordo com a visão de Israel, nossas diferenças são minimamente respeitadas aqui no Brasil. Se do alto de sua arrogância Israel se permitisse observar o nosso exemplo, certamente teria muito a aprender.

Por ora, só nos resta torcer para uma breve solução com o cessar-fogo e fim das mortes. De ambos os lados.


Comentários

Clique aqui para comentar
Nome: E-mail: Mensagem:
  • 28.07.2014 17:25 jose reinaldo fioravanti

    Esse e o mesmo cara que defende a Xuxa!!!!!!! E um fanfarrão!!!!

  • 28.07.2014 11:19 Aloh Prado

    Esse Duílio Jr deve ser daqueles meninos mimados, criados pela avó e ainda por cima em apartamento! A única coisa que Hitler fez com razão foi tentar exterminar esse povo judeu, que é o câncer da humanidade. Aonde tem judeu tem corrupção, genocídio enfim todo tipo de crueldade. Mas não podemos generalizar tudo, existem gente do bem em Israel e que não concorda com o seu Estado. Mas quem está sendo destruído, no fundo, é a moral do próprio estado judeu. Esses sim são desprezíveis

  • 28.07.2014 11:00 Duílio Jr

    Douglas, se você realmente ler meu comentário, verá que eu condeno a violência de Israel contra o povo palestino. Minha crítica é sobre a parcialidade moral do partido que comanda o Brasil. Quando quem pratica a violência tem o mesmo alinhamento ideológico do partido, como Rússia ou Síria, nenhuma palavra da diplomacia brasileira. Quando quem pratica a violência tem valores contrários ao do partido, a diplomacia se manifesta com vigor. Se fosse realmente por solidariedade ao povo palestino, o Brasil deveria ter agido da mesma forma nos casos da Síria e Ucrânia. No entanto nada fez. O Brasil perdeu uma grande oportunidade de ficar calado.

  • 28.07.2014 10:47 Rogério Martins

    Não se pode concordar com o massacre israelense, acertou a diplomacia brasileira. Mas errou ao não ter a mesma atitude frente ao governo sírio, russo e venezuelano.

  • 28.07.2014 09:48 Douglas Rodrigues da Silva

    Duílio Júnior... o odio nasce de pessoas como vc! Vá a pessoalmente a Palestina e Israel e veja com o seus olhos essa ASNEIRA que vc escreveu! #ficaadica

  • 27.07.2014 10:41 Ricado Marinho

    Parabéns!!! E há quem defenda os ataques e justifica computando esses números para o Hamas.

  • 27.07.2014 08:16 Duílio Jr

    "aos incautos fazer crer que seu ódio no peito é amor". Assim diz a letra de Lobão que retrata com exatidão o pensamento do PT. Em nome do "amor" ao povo da plestina o PT lança essa ação diplomática patética que nada mais é do que a materialização do ódio à Israel. Como todos sabem Israel representa tudo o que o PT odeia: pluripartidarismo, empreendedorismo, liberdade de imprensa e economia de mercado. Se o PT agisse por amor, e não por ódio, teria cortado relações com a Síria que já matou até agora mais de cem mil do seu próprio povo. Sobre isso nem uma palavra do PT. Israel merece sim ser repreendido por suas ações. Mas pelos motivos certos e não pelos errados. O relativismo moral do PT envergonha os brasileiros e terá consequências sérias no futuro. Enquanto isso vamos nos alinhando à grupos terroristas como o Hamas e Farc e ditadores sanguinários como Fidel e Ahmadinejad e todos aqueles que combatem os valores ocidentais.

  • 26.07.2014 23:43 joao carlos

    isso aí Pablo, assino embaixo do que você escreve. chega de falsos profetas e palatinos da moralidade. cadê a amizade de israel?

  • 26.07.2014 09:17 romildo gonçalves sena

    olha bem pra o nosso pais sera que podemos dizer essas besteira sem sangue nas mãos.os nosso politico causa o verdadeiro genocidio em massa no nosso pais ainda tem gente falando merda.matança sim é o que acontece aqui mais de cinquenta mil assascinatos por ano.politicos quase todos ladrão.sangue nas mãos quem somos nós pra fala contra israel um pais aonde esta proibido ser honesto.é proibido falar a verdad e.aonde o povo é obrigado a viver como escravo do sistema corrupto e criminoso em poucas palavras quero dizer nós sim esse pais tem as mãos manchada de sangue inocente um pais que mata sua propia gente.nesse pais domonado pra facções criminosas sim é claro esses partidos parecem mais uma milicia formado por bandido por gente mal.ainda alguem ai tem coragem de fala que não temos sangue de inocente nas mãos para esta de brincadeira com nosso povo nosso pais sim tem matado muitos.crianças,mulheres,jovens,idosos,nossos pais e mãe de familia e etc.aqui sim merecia uma guerra contra essa sistema

Sobre o Colunista

Pablo Kossa
Pablo Kossa

Jornalista, produtor cultural e mestre em Comunicação pela UFG / pablokossa@bol.com.br

Envie sua sugestão de pauta, foto e vídeo
62 9.9850 - 6351